sábado, 27 de abril de 2013

Eles passarão...eu passarinho!


De repente percebi que estamos chegando ao 5º mês do ano e eu não escrevi nada aqui.
Importa muito para mim registrar um pouco da vida neste blog, escrever sempre fez parte da minha vida, aqui é aonde registro esta jornada maluca que é esta passagem terrena.
Quem sabe um dia, meus netos venham se interessar...
A vida está melhor, ainda tenho um pé lá na dor, no sofrimento, porque viver eternamente satisfeita comigo, com o mundo, simplesmente destoa da realidade que segui durante tantos e tantos anos...
Faz 1 ano e 13 dias que optei por ter escolhas na vida.

Decidi que serei feliz, independente dos fatores materiais que possam me cercear, das dificuldades emocionais, dos medos, dos ressentimentos que ainda brotam.
Decidi e acredito que sou feliz.
Agora, finalmente, a pessoa mais importante do mundo, o foco de tudo sou eu.
Não me boicoto, não quero migalhas da vida, nem metades, nem ilusões.
Quero a realidade, a verdade, não importa qual a sua forma, eu a quero.
Lidar com a dor ainda é um desafio.
A dor aumenta o tamanho da minha doença, que, só por hoje, consigo deter.
Ainda não sei definir alguns sentimentos, vejo que tudo é tão confuso, tão estranho.
Gosto da maneira como minha vida está, desta paz, desta liberdade, de poder me rreencontrar, de perceber o quanto consigo ser uma boa companhia pra mim.
Só que crio expectativas, sonho, quero, sinto, penso...
Há dias em que a vida flui facilmente, às vezes preciso empurrá-la, mas sempre e hoje posso até gritar SEMPRE ESTOU ATENTA E CONSCIENTE de quem sou, dos sintomas da minha doença e de tudo o que não posso fazer para agravá-la.
Tento, sempre, agir de uma forma positiva, buscando o equilíbrio.
Não me importa o que acham que eu sou, bastar eu saber.
Gosto muito da pessoa que estou revelando, sei que nunca serei perfeita, isso não existe, porém, por muito tempo, busquei a perfeição, hoje não.
Hoje busco viver um dia de cada vez.
Quando quero chorar deixo que as lágrimas vertam dos meus olhos sem tentar disfarçá-las, mas na maior parte das vezes, sinto uma grande alegria por estar viva, uma gratidão enorme por ter saúde, por ser quem eu sou, ter tudo o que tenho, tenho muita sorte, tenho amor de muita gente.
Vou continuar lutando para me manter serena, para estreitar os laços com o Poder Superior, para alcançar minhas metas, buscar meus objetivos, caminhar ao encontro dos meus sonhos, sem depender de ninguém e de nada.
Esta resiliência descobri há 7 anos quando a Morte veio e me disse "vamos", respondi "nã nã ni nã não", larguei muitas verdades e notei que havia uma outra Roseane com uma armadura guardada para enfrentar o inimigo sem temor.
Estou sempre me superando, mas hoje posso dizer que não sou meu maior obstáculo, sou a mola propulsora, sou feliz e quando a tristeza vem quem me tira do buraco sou eu mesma.
Não é que eu me baste, mas é assim que vivo.
Pode ser que meu irmão gêmeo seja este meu outro lado, seja meu anjo protetor.

Pode ser que sim, pode ser que não...

Vale muito à pena esta nova maneira de viver, mesmo apesar de tudo... no fim das contas, hoje a vida se encarregou de me dar algumas respostas.

Seja e continue feliz, eu acredito que assim eu sou feliz.