quarta-feira, 28 de outubro de 2009

O que entra pela boca...

Desde que voltei pra academia estou conseguindo deixar minha vida cada vez mais com QUALIDADE.
Sempre me preocupei com a alimentação, mas apesar de comer pouca fritura, nada de gordura (ou quase), incluía muito chocolate e pouca fruta.
Sem contar a mania de comer por GULA. Muitas vezes nem estava com fome, mas daí o Hélio resolvia pedir um lanche, uma pizza e lá ia eu acompanhá-lo...até sentir enjoo porque meu estômago não suportava!

Não dá, depois dos 30 o metabolismo de todo mundo muda radicalmente. Então o que podia comer antes sem acrescentar 1 grama à balança, agora vira gordura na hora.
E eu que sempre fui magérrima.

Por isso aconselho todo mundo a cuidar da alimentação.
Eu curto comprar os alimentos, prepará-los... e comê-los!
Os indianos estão certos, quem deve cuidar da comida da família é a mulher da casa, pois só ela terá o cuidado necessário com a higiene.

Porque mesmo o restaurante mais requintado pode esconder uma cozinha suja ou alimentos mal conservados.
Portanto, peça pra ver a cozinha sempre. Caso se neguem, mude de restaurante, pois este deve ter algo de podre.

Bem, todos os dias agora tomo sucos bem malucos.
Hoje na hora do almoço fiz suco de laranja, beterraba, cenoura e manga.
Á noite tenho feito um pra melhorar o sono e tirar a gordura do corpo:

Meia maçã;
1/4 de um repolho pequeno;
1 talo de aipo;
Hortelã a gosto.

A receita pede pra que não se ponha água, no liquidificador comum é impossível, mas se você tem uma centrífuga (até o Natal terei uma) a coisa fica simples.
Você tem que coar se fizer no liquidificador, com um coador de pano...

Sinto-me muito bem.
Cuidar da alimentação só traz benefícios. Experimente.
Este suco que dei a receita é o Suco Verde, deve-se tomá-lo 30 min antes das refeições.
Não é ruim, é doce...

*******************************

Só que todos estes cuidados vão por água abaixo se não cuidar da higiene.
Você também gosta de escolher os alimentos no supermercado?
Faz isso com carinho e paciência?
Ótimo.
Daí chega em casa e corre pra guardar tudo em seus devidos lugares?
Isso mesmo.
Só que há um porém que a maior parte do povo não percebe.

Pense na seguintes situações...

1.O funcionário do supermercado encarregado de repor a mercadoria nas prateleiras.
Alguns minutos antes ele estava fumando um cigarro ou pior, foi no bwc. Não lavou as mãos.
Ele pega a caixa de bolachas (por exemplo), coloca no chão (sim, aonde você e toda a cidade passam diariamente) e depois ajeita tudo bonitinho...

2. Aquele nóia nojento ( percebeu que detesto nóias, explico, já fui roubada), entra no mercado acompanhado pelo olhar do segurança, afinal ir e vir é um direito. Ele pensa em comprar uma margarina, pega uma, pega outra... daí decide pegar um leite... pega um, leva outro... e assim vai... colocando aquelas mãozinhas nojentas que acenderam um cachimbo, limparam a bunda no terreno baldio... mexeram no lixo atrás de latinhas... meteram no ouvido que há anos não conhece um cotonete.

Daí vai você lá, toda precavida e pega extamente o mesmo pote de margarina. Chega em casa e faz o que? Põe na mesa porque sua família espera.

Entendeu?

Se você não lava todos os produtos que traz da rua está correndo o risco de adquirir uma bactéria.
E quantas vezes não se sentiu indisposta mesmo sem ter comido nada de diferente?

Temos anticorpos poderosos, SIMMMMMMM, mas temos que cair na real. Não faça mais esta porquice, lave todos os produtos que trouxer da rua, claro que produtos de higiene não tem necessidade, a pasta de dente sim... mas não vai querer lavar o sabonete, o pão...

Não tenha preguiça, cuide-se, nunca se sabe quando podemos contrair uma bactéria mortal...

domingo, 25 de outubro de 2009

A vida pode sempre melhorar...(pequeno balanço dos meus 36 anos)






Sem dúvida alguma, esta semana que termina hoje foi a mais agitada do ano.
Foram tantas emoções!
Consegui estar junto às pessoas que amo, faltaram algumas, mas as que estiveram ao meu lado fizeram parte desta história.
Vivi a contradição de ter a grande alegria de estar fazendo aniversário (sim, eu gosto de ficar mais velha) e a enorme tristeza de ver meu genro amado partir.
Quase que não consigo lhe dar o último abraço, pois tivemos alguns contratempos.

Agora que ele se foi, percebo o quanto já fazia parte da minha vida.
Ambos tiveram sorte, pois tanto ele, quanto ela, são pessoas espetaculares.
Fico feliz porque não precisou bater muito a cabeça pra encontrar um homem bacana.
O Gui é o genro que toda sogra quer ter.
Não tenho nada pra reclamar, nestes 3 anos em que convivemos quase que diariamente.
Agora o admiro mais ainda por ter esta coragem de mudar a vida.
Largar a estabilidade do emprego, a vida sossegada perto da família, os amigos com quem sempre estava e de repente se mudar pra uma outra realidade.
Tenho certeza que as coisas irão dar muito certo pra eles.
Ainda bem que minha filha não é como eu, acomodada.
Logo, logo, será a minha vez de vê-la passar por aquela portinha de vidro no aeroporto.

Tudo está muito bem planejado.
Tudo vai dar certo, pois, se me considero uma pessoa de muita sorte, minha filha então nasceu com o dobro da sorte que sempre tive.
Somos pessoas muito abençoadas.
Muito mesmo.

E neste clima encerrei meu ciclo de 36 anos.
Foi uma fase mais descomplicada do que vinha sendo nos últimos 3 anos.
Desta vez a pior coisa que aconteceu foi o fechamento da loja, mas a partir disto abriram-se novas oportunidades.
Confesso que foi uma idiotice, quis investir bem um dinheiro que recebi e no fim só tomei na cabeça.
Antes tivesse trocado de carro, coisa que nem pensei.
A vida é assim, meu pai achava melhor a gente sempre tentar e fracassar do que não tentar por medo.
É verdade, a gente aprende muito mais quando cai alguns degraus do que quando subimos. Depois não ficarei com aquela impressão que deveria ter tentado.
Porque subir é fácil, mas cair dói.

Dói mas não destrói.
Pelo menos eu não sou assim.
Agora estou com a vida boa, não tenho que cumprir horário, não tenho chefe e muito menos preciso sair de casa se estiver chovendo muito.
Nem tenho obrigação de abrir a loja diariamente.
Quer coisa melhor?

O que nos torna diferentes não são as escolhas que fazemos, mas justamente aquilo que não escolhemos, como a nossa família, o bairro aonde crescemos, a escola aonde somos educados.
Eu nasci numa família aonde aprendi que é bom ter dinheiro sim, mas que isso não é fundamental, nem faz diferença se este não serve pra ajudar os outros.
Meus pais me deram exemplos a vida toda.
Eles eram desapegados materialmente.
Tudo bem que houve a fase de trocar de carro todo os anos, de cada um ter seu automóvel, mas quando isso não foi mais possível simplesmente nos adaptamos.
Jamais destruíram a harmonia da relação porque não dava mais pra passar o verão em Caiobá, por exemplo.
Enquanto tantos casais sucumbem à miséria.

Fui criada assim, tendo as coisas boas da vida e valorizando cada instante.
Claro, hoje eu tenho 37 anos, um pouco mais nova eu não conseguia ter esta percepção.
Porém, sempre fui simples.
Nunca tive vergonha de pegar o balde e uma vassoura e limpar a frente da casa. Minhas amigas queriam morrer se alguém as visse assim, mas eu nunca liguei.
Tinha orgulho de viver numa casa tão bonita, tão bem localizada.
Ainda tenho, embora morar aqui seja algo temporário...

Boas lembranças, graças à Deus!

Enquanto algumas pessoas mentem a idade, sinto orgulho e alegria de ter completado mais um ciclo e perceber que consegui evoluir muito em um ano.
Ainda tenho muito defeitos... vixe!
Considero-os meus pontos fracos, nada de anormal, nada que não seja resolvido com boa vontade.

O negócio é se vigiar sempre, não deixar que os problemas do dia a dia interfiram no meu bem estar.
Quem me conheceu a vida toda sabe o quanto tenho evoluído.

Ainda há muito o que melhorar, sem dúvida.
A princípio, sei que estou no caminho certo.
Tenho tudo na medida exata, como deve ser.

E ainda há de melhorar, muito mais... por que Deus quando olhou pra mim bebêzinha disse:

"você fará parte das pessoas que nasceram para serem felizes"!

Mesmo com alguns obstáculos; minha fé e a certeza de que a vida é algo divino, são as únicas verdades nas quais acredito piamente.

Nasci pra ser feliz.
E sou.

Sou grata por tudo que tenho e por quem eu sou.

Esta fase nova dos 37 anos será de crescimento financeiro, emocional e espiritual.
Rumo aos 40 anos, pois tenho certeza que a vida começa de verdade lá... por enquanto é só um breve ensaio.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Vibe positiva...
















Este foi um dos melhores finais de semana de todos os tempos... consegui reunir QUASE todos os meus grandes amigos... amanhã tem mais!
A gente pode até conseguir viver sem nossos pais, mas viver sozinho e sem amigos ninguém consegue...

Gratificante é isso!

Depoimento recebido pelo Orkut.

oi ro le e apaga tah! menina entrei no seu blog,como xorei,nao sei c e p estar passando p um momento difiçil c meu filho,mas suas palavras m emocinaram como vc escreve lindoooo!!!que deus continue te dando ´´as palavras´´ elas sao suas mas fazem as pessoas refletirem e c emocionarem...bjs

Não vou identificar a pessoa, pois ela pediu pra eu apagar, mas confesso que foi uma benção saber que de alguma forma consigo levar pessoas a reflexão.
O filho dela está com o problema que tive em 2006.
Algo inimaginável pra uma mãe, mas a vida é assim, os obstáculos surgem e o que nos diferencia é a maneira como os enfrentamos.

Por isso gosto do meu blog.
É a minha vida escancarada, sem maquiagem, sem vergonha.
Meu objetivo é este, levar esperança pra quem sofre.
Dá pra passar por tristezas e sair mais forte e mais feliz.

Eu sou a prova viva desta resiliência que todos deveriam conseguir.
Tenho orgulho de minhas cicatrizes porque formaram a pessoa que sou hoje e infelizmente, o ser humano de um modo geral só amadurece na dor.
Enquanto tudo é fácil a vida vai que é uma beleza.

E o mais importante sem dúvida é a saúde.
Não importam seus outros problemas, com saúde você encontra todas as soluções.

SAÚDE + AMOR - isso é o que realmente importa.
O resto é consequencia dos nossos atos e escolhas.

Eu escolhi ser feliz independente dos motivos que teria pra chorar e lamentar.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Ore com força!

Graças à Deus a serenidade e a paz voltam a tomar conta do meu ser.
Existem momentos e barreiras que são difíceis de transpor.
Muita vezes sucumbimos à raiva e com este sentimento nada pode terminar bem.

Bom quando a gente consegue evitar.
Péssimo quando a gente se deixa levar por estas energias tão negativas.
Ainda bem que minha racionalidade consegue me dar discernimento suficiente para entender que realmente errei.
Estou cansada de saber que o mal está sempre a espreita, temos que nos vigiar pra não agirmos exatamente conforme ele espera.

Passou. Como um temporal horrível foi embora.
Nada mudou, só algum tempo perdido... sempre que sentir raiva considerarei o tempo perdido.

Não é fácil aprender, mas é mais descomplicado quando estamos abertos a reconhecer nossos erros.
Da próxima vez quando alguém tentar trazer o mar revolto novamente à minha vida, contarei até dez e lembrarei bem que eu sou.
Não preciso provar nada à ninguém.
Este blog mesmo, lê quem quer. Quem achar que há algo importante ou apenas estiver de bobeira pode vir.
Não me exponho, falou o que tenho que dizer.
Não faço dos meus problemas um escudo pra me proteger.

Tenho humildade o suficiente pra dizer aqui quantas vezes caí, quantas vezes errei. A vida não é um mar de rosas, sempre haverá uma coisinha ou outra. Sempre.
O problema é quando coloca na balança e percebe que o saldo positivo está lá embaixo.

Já tive esta fase.

Hoje me aborreço muito comigo mesma quando esqueço a minha essência.
Tem um monstro dentro de mim que não deve ser incomodado. Nunca.
Não gosto quando isso acontece. Pode parecer que sim, mas não.

... ontem, perdi perdão à Deus. Sei que Ele me perdoou porque sabe que sou uma pessoa boa, meu saldo negativo está cada vez mais baixo.
... legal quando vamos amadurecendo e aos poucos conseguimos ir tirando toda a espécie de sentimento ruim do peito.

Acordei tão bem, me sentindo feliz, revigorada.
Não dá pra viver conforme a lei de Talião.
A melhor coisa é ignorar.
Perdi dois dias da minha vida sentindo raiva de pessoas que nunca vi.
O que serviu apenas pra me igualar.

Não vale à pena mesmo.

Por isso agradeço à Deus quando algo ruim assim acontece e me faz refletir sobre meus erros.
A gente pensa que está preparado pra determinadas situações imprevistas, mas que nada.
Um dia, num momento errado, te provocam, aí vai embora toda aquela filosofia pacífica.
Tolo é aquela que pensa que seus atos não tem consequencias.
Nunca podemos prever a reação do outro, nem a nossa.
Foi como aconteceu em CWB. Estava indo passar um final de semana pra fazer um curso.
Dia lindo, serra limpa, estrada tranquila. Era a primeira vez que passaria um FDS motorizada na capital.
Tinha planejado sair com uma amiga para irmos ao Barigui.
Passando o pedágio, fechei os vidros e travei as portas.
Na av. Visconde de Guarapuava peguei uma sequencia de sinais verdes... resolvi parar em um amarelo enquanto procurava algo em minha bolsa.

Só ouvi os socos no vidro.
E uma voz me ameaçando.
Sempre disse que não reagiria, mas na hora, não quis entregar minha bolsa com todos meus pertences a um nóia nojento.
Dei um grito na cara dele "SAIIIIIIIIIIIIII"... e fui pra cima da faixa de pedestres.
O cara se assustou e foi embora.

E se tivesse armado? Valeria à pena?
Não sabemos realmente como reagiremos em situações imenso estresse.
Por isso que tanta gente faz besteira quando é assaltado.
*******************************************

As consequencias dos meus atos sei muito bem.
Mostrei aquele lado ruim que todos tem, uns admitem, outros não, diferente na intensidade apenas.

Já que ocorreu, não consegui evitar, o negócio é aprender a lição.

As constatações as quais cheguei ficarão apenas comigo.

Consegui perdoar, isso é o que importa. Tirei aquele peso de dentro de mim.
Perdoo cada ofensa recebida lembrando da frase:
"Senhor, perdoai-vos, eles não sabem o que dizem"...

Como diria Narcisa, "ai que loucura...!"
E desculpem pelas agressões verbais.
Espero que tenham aprendido algo com mais esta lição que a vida nos dá.
Desejo pra vida de todas as pessoas que me detestam apenas uma coisa: MUITA SAÚDE. Porque tudo que desejemos aos outros com certeza nos volta.



Para Perdoar
Quando não se alcança o almejado apesar de orar fervorosamente, às vezes há uma causa mental oculta: não se perdoou a alguma pessoa. Quando odiamos alguém, esse ódio se infiltra em nosso subconsciente e, mesmo que o esqueçamos no consciente, ele continua latente. Tendo ódio no subconsciente, a oração torna-se inútil, ainda que seja fervorosa. Portanto, é necessário, antes de orar por algo, fazer oração de perdão. Quem perdoa é perdoado. Para isso, há as seguintes orações:


ORAÇÃO DO PERDÃO SEICHO-NO-IE

Eu o(a) perdoei e você me perdoou
eu e você somos um só perante Deus.
Eu o(a) amo e você me ama também;
eu e você somos um só perante Deus.
Eu lhe agradeço e você me agradece.
Obrigado, obrigado, obrigado...
Não existe mais nenhum ressentimento entre nós.
Oro sinceramente pela sua felicidade.
Seja cada vez mais feliz...
* * *
Deus o(a) perdoa,
portanto eu também o(a) perdôo.
* * *
Já perdoei a todas as pessoas
e acolho a todas elas com o Amor de Deus.
Da mesma forma, Deus me perdoa os erros
e me acolhe com Seu imenso amor.
* * *
O Amor, a Paz e a Harmonia de Deus
envolvem a mim e o outro.
Eu o amo e ele me ama.
Eu o compreendo e ele me compreende.
Entre nós não há mal-entendido algum.
Quem ama não odeia,
não vê defeito, não guarda rancor.
Amar é compreender o outro e não
exigir o impossível.
* * *
Deus o(a) perdoa.
Portanto, também o(a) perdôo.
Através da divindade da Seicho-No-Ie,
perdôo e envio-lhe ondas de amor.

Eu amo você.
Do livro: Minhas Orações - Masaharu Taniguch


Obrigada por tudo Senhor, especialmente por eu ser como sou.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Conviver com a saudade...



Se vivo estivesse, hoje Ludovico estaria chegando aos 75 anos. Rose teria feito 80 no dia 27 último.
Sei que estão felizes e juntos.
Sinto que nos protegem.

Restou apenas a enorme saudade no meu peito.
Não gosto nem de parar e pensar muito.
Agora já acostumei a não pensar que era ela quando o telefone toca.
Nem sinto meu pai sentado em sua poltrona assistindo os dvds que trazia quase que diariamente.

Só não os esqueço.
Quando preparo um bom prato, penso em como gostariam.
Quando assisto um bom filme, penso em como meu pai gostaria.
Estas coisas são inevitáveis.

Porque o que resta nos nossos corações é o amor que deixamos.
Meus pais souberam ser muito amados, por isso são inesquecíveis pra muitos.

Saudades...

Minha sina será conviver com ela.

Dia 20 será meu aniversário. Terei uma grande comemoração com meus primos em CWB, mas também será um dia triste.
Meu genro embarca pra Irlanda.
Parece piada pronta.
Só que não houve escolha na data, coincidiu.
Estamos aqui contando os dias.

Depois, em dezembro, vai minha filha.
Não gosto de pensar, vai ser duro, nunca nos afastamos mais do que uma semana.
A Jéssica é tão fundamental em minha vida.
Não sei como viverei longe do seu sorriso, da sua alegria... do seu mal humor, lógico, tem um pavio curto igual ao meu.

Vivo um misto de sentimentos.
Tristeza porque viverei com a saudades, pois levará alguns meses até eu poder ir vê-la... ou que ela venha.

Alegria e orgulho porque sei que esta decisão de viver fora do país só irá trazer-lhes vantagens.
Vão estudar, juntar dinheiro...
Sei que se darão bem porque ambos são ambiciosos.

Fico pensando o quanto esta atitude empreendedora traria preocupação aos meus pais, sempre tão protetores!

Sorte que não sou sozinha e tenho uma vida estável ao lado do meu marido.
Porque no início será complicado, mas com o tempo acabamos nos acostumando, afinal, filho a gente cria pro mundo.

Tenho orgulho desta sua atitude e coragem!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Os meus defeitos... e os seus, você encara?

Estes dias estava no supermercado com minha filha e, como faço algumas vezes até por distração, entrava de óculos escuros.
Ela, mais do rapidamente, disse "tira este óculos mãe, fica com cara de metida"... dei risada e "obedeci", pensando...
Dois dias depois estava com aquela roupinha bem de "ficar em casa" com uma enxada - dando uma de pedreiro, como disse meu marido - em frente a minha casa puxando barro por causa de um maldito esgoto que rompeu e fica escorrendo.
No fim, de quase nada adiantou, ganhei uma bolha gigante na mão e dores por todo corpo.
Não pude nem ir pra academia no dia seguinte...ô idade!

Julgamos tanto os outros pelo que nos aparentam sua imagem. Muita gente não admite, mas a real é que quase ninguém consegue fugir desta primeira impressão que o estranho, o "outro" nos causa.
Depois disso fui analisar meu album no orkut, que aliás, é uma vitrine pra gente expor o lado que quiser da sua vida. Já vi alguns que colocam fotos de pessoas mortas, estranhos ou parentes mesmo.
Uma vez vi um album de uma filha que fotografou todo o sofrimento da mãe no hospital, acho que tinha câncer, no final era o velório da pobre senhora.

Bem mórbido... eu já me acho mórbida por estar na PGM...

O meu album, analisando cruamente, diz muito da minha vida, das minhas saudades, dos meus amores, dos meus hobbies, do meu dia a dia.
Parei com aquela história de fotografar tudo e colocar lá.
Acho que se não me conhecesse acharia bem legal, mas metida...rs.
Pelo menos, tem muita gente bonita pra encher os olhos ali...


Julgar os outros é algo errado, mas não consigo fugir de determinadas constatações. Isso é um grande defeito. O mais legal de tudo é que hoje com quase 40 anos - orgulhosamente vividos - consigo analisar várias vezes o mesmo assunto. Até conseguir dar o peso ideal que ele tem em minha vida.
Não me preocupo porque sei que não resolve.

Nem todo mundo consegue esta transformação com o passar da vida. Depende de como enxerga e encara as situações negativas que a vida te impõe. Porque viver sem ter problemas reais é super fácil.

Como era tranquilo ser apenas a filha da Rose e do Ludovico.
Hoje tenho nas mãos as rédeas da minha vida. Se a princípio pensei que pudesse me desesperar, aos poucos as coisas foram se acertando naturalmente.
Acabou aquela época aonde pensava que se algo desse errado, corria pra casa de "papai e mamãe" que tudo estaria bem.
Sorte, tive e ainda tenho MUITA sorte.

Muita gente passa por esta vida sem saber o que é ter um pai e uma mãe de verdade.


Tinha tanto medo deste momento.
Sempre tive medo de imaginar minha vida sem meus pais.

Só assim pra eu crescer de verdade e perder o medo.

Todos nós temos defeitos, não dá para um se sentir melhor que o outro por causa disso ou daquilo.
O que dá é para se sentir superior moralmente.
Não vou ser hipócrita de dizer que não sou uma pessoa melhor do que o cara que vi hoje no noticiário que espancou um RN de 3 meses.


Se ainda fossem capazes de compreender...

Não provoco ninguém, mas não admito que pisem no meu calo.
Errado, afinal, não vale à pena descer a um nível tão baixo e entrar na mesma negatividade de gente tão infeliz e medíocre.
Talvez com o passar da vida, se conseguirem ter uma experiência melhor do que apenas atravessar a ponte da Ilha pro continente, digo e repito, TALVEZ evoluam a massa cinzenta que não serve só pra ter cabelo.

Hoje, ao entrar aqui tinham várias ofensas.
Percebi o rancor e a melancolia guardada em cada palavra, que tentava se esconder atrás da inveja mais pura.
Sabe quando a pessoa joga nas costas do outro suas frustrações? Suas angústias e medos? Lamentável, senti muita pena da demonstração infantil de INVEJA.
Um desfile de palavras de baixo calão, realmente não sei aonde estava com minha cabeça quando fui revidar o despeito.

Não me atingiram em nada, porque quem me conhece sabe que sou bem mais eu.
Não serão comentários de pessoas que não chegam aos meus pés que me abalarão.

Só que sei que são pessoas totalmente do mal, que não medem palavras e não sabem o que dizem mesmo.
Tripudiar uma pessoa que TEVE câncer demonstra apenas o quanto o coração delas está negro e precisa urgente de um bom psiquiatra.

Além de demonstrar que são super contraditórias, quem curte reggae não chega a este ponto, nem quando está muito irada.

Tuas palavras tem poder, mas isso não significa que tua praga caia aonde quer.

Hoje podem estar me tripudiando, mas digo que o cancer não escolhe idade, nem sexo, nem classe social.
Ao invés de despejar a amargura em cima de mim, deveriam pedir que Deus protejesse seus filhos, seus pais, seus amigos.
Vocês mesmas... quem garante que amanhã não poderão estar carecas tomando injeções de quimioterapia?
Eu venci, fui forte, guerreira, muitos me admiram... será que VOCÊS conseguiriam esta paz de espírito num momento tão cruel?


Já pensaram que castigo descobrir que o mal que me rogou caiu em seus filhos?
E você vai lembrar deste momento e pedirá perdão à Deus, tenho certeza.

Tem pensamentos que não deveriam existir, se existem desta forma então é hora de procurar um bom especialista.
Não desejo pra ninguém o que não quero pra mim e pros meus.

Por isso devo ter sido tão bem sucedida em meu tratamento.
Porque Deus sabe, tenho um gênio forte, pavio curto (mas sabe que estou cada vez melhor), mas nunca fui má.
Nunca desejei o mal.
Nunca tentei prejudicar ninguém.
Nunca tripudiei a doença de ninguém.

Não tenho medo de praga, de "olho gordo" porque Deus está comigo e me prova desde o dia em que nasci numa miséria extrema e dois dias depois já tinha outra realidade.
Muito melhor, principalmente porque tive o mais preciso prêmio da minha vida, ser filha de quem sou, ter sido criada e educada por quem fui.
Isso é uma riqueza que ninguém irá conseguir destruir.
Meu caráter, minha educação, minha índole,minha dignidade, minha bondade.
Estas são minhas maiores heranças.

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

Confesso, tenho um sério problema, além da cara de metida, e da exagerada franqueza, que muitas vezes é má-compreendida por desconhecidos e ignorantes de plantão.

Por isso, quando saio, procuro sorrir sempre.
O sorriso abre portas, traz boas energias.
Gosto de sorrir pra vendedor carrancudo, às vezes consigo um sorrisinho de canto de boca...

Sou grossa, muitas vezes estúpida. Especialmente com minha família.

Sei também enfiar o dedo na ferida do inimigo pra me defender.
Por isso tento nunca reagir, evito confusões, discussões. Não gosto da minha ira, sentimento ruim não é legal.
Até engulo sapos...

Não me lembro a última vez que discuti com alguém. Virtualmente sempre rola, mas não levo isso pra fora do monitor. E as discussões rolam em comunidades de discussões virtuais, adoro debater um tema bom.

Não sou convencida como possa parecer. Sou arrogante com que merece.
Penso assim, se eu não me amar do jeito que sou, me cuidar, me vigiar, quem o fará? Amor próprio em primeiro lugar sim.
Então me acho o máximo, apesar dos defeitos, apesar da "barriguinha", apesar da cirurgia, das estrias e das celulites.
O corpo é uma casca, que deve ser bem cuidada, mas não sou neurótica.
Ficando bem vestida, os detalhes quem está acostumado a ver não tem reclamado.
O Hélio é contra qualquer tipo de cirurgia estética, ainda bem que sou desencanada.
Temo mais por meus pensamentos negativos mais do que pelas minhas unhas mal cuidadas.

Sou bem amada, a mulher quando tem um homem que a ama e confia, sabe bem como é se sentir a última bolachinha do pacote.

Tenho muita coisa pra melhorar, sei que estou no caminho certo.
Que bom se todas as pessoas tivessem esta noção da realidade.
Talvez quando forem mais maduras... e olhe lá!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Como pode?

Alguém pode me explicar de uma maneira bem clara, como um país aonde a desigualdade social é um dos piores abismos entre seus cidadãos, pode se esforçar tanto pra conseguir sediar uma Copa do Mundo de Futebol e hoje, as Olímpiadas de 2016.

"Ah, não seja burra Roseane, isso transformará o turismo, o esporte e ainda criará diversas vagas de emprego"...

Hoje estive lá no Jardim Esperança, aliás, isso é a única coisa que resta pra alguns dali.
Gostei de ver a criançada na rua, soltando pipa, jogando bola, enfim, brincando. No meu tempo também brincávamos na rua... meu bairro era mais residencial. Atualmente não tem como imaginar crianças brincando nestas ruas... cheias de caminhõs (apesar de ser proibido o tráfego) e o pior, cheia de "nóias".
Esta praga da humanidade.

No meio daquela miséria, tenho certeza que se perguntassem se a Copa do Mundo ou as Olimpíadas trarão alguma perspectiva positiva para o futuro, aposto que a resposta seria NÃO.

Vão gastar horrores investindo em transporte coletivo (espero), ginásios, estádios, quadras, alojamentos, mas ainda vão faltar comida na mesa dos nordestinos.
Ainda veremos notícias de pessoas desesperadas porque perderam um ente querido sem atendimento público.
Muitos ainda irão sucumbir ao vício do crack e da bebida, sem uma ação eficiente do Governo.
Prioridade deveria se comida na mesa dos mais carentes, depois saúde pra população em geral.
Recentemente soubemos que muitos doentes de cancer não estavam recebendo seus medicamentos.

Todos os dias nos noticiários manchetes estarrecedoras nos chegam... crianças morrendo de fome, falta de atendimento nos hospitais, crimes hediondos que tem relação com esta desigualdade social em que vivemos.

E o que o governo faz?

Nada.

Triste.

Um país aonde ainda tem gente passando fome não poderia jamais pensar em sediar um evento destes...

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Sai de retro...

Não gosto de gente ignorante, não mesmo.
Fiz questão de aceitar os comentários anônimos em uma postagem sobre inveja pra provar que realmente não me acho, são estes urubus que ME ACHAM.

Não gostam de mim, não conseguem se quer comentar de uma maneira culta e produtiva minhas postagens e depois a culpa é minha.

O povo vive "urubuzando" meu Orkut e a culpa é minha. Imagina, mais de 50 visualizações sempre... que ibope!

Desculpem mal amadas de plantão, barangas, mocréias e burrinhos.

Este aqui é o meu espaço, sempre gostei de escrever, muita gente me incentiva e independente da inveja e do rancor alheio, não vou me esconder porque algumas pessoas entendem que falar de fatos difíceis é se fazer de coitadinha...eu?

Coitada porque? Não tenho motivos. Não passo necessidade, tenho minha casa própria, saúde novamente, minha família está bem, tenho amigos na medida certa... sou inteligente e bonita.

Isso aqui é realidade pura, sem maquiagem, sem hipocrisia (palavra que alguns pelo jeito não sabem definir). Não é capz de entender? Vaza... procura um site de fofocas de celebridades.

Que bom que tenho tantas histórias pra contar. Por mais que algumas sejam tristes, o final de todas é sempre satisfatório.
A vida não é só alegria do mesmo jeito que problema não se resume a ter ou não 50 reais pra curtir uma noite.

Ao invés de se tornar alguém despeitada e invejosa faça uma coisinha: reze. Peça perdão e proteção, porque tudo de ruim que quer jogar contra mim irá voltar em dobro pra você. Sempre. Pode ter certeza absoluta.

Programa Voz do Litoral

Paranaguá é uma cidade pitoresca. Enquanto outros municípios tem que se contentar com jornais impressos e emissoras de rádio, nós, além de tudo isso, temos também a "sorte" de termos uma televisão local.

Sorte? Será mesmo?

Não sou a pessoa mais inteligente do munco, com certeza, mas também não sou a mais burra.
Todos os dias a gente "tenta" assistir a este jornal que passa na hora do almoço.
Confesso que o apresentador enquanto radialista de um jornal da manhã, até que vai bem, não chega aos pés dos irmãos Mikosz, nem do que era o Antonio Pioli, mas dá pra enquadrá-lo no quesito "suportável".
Deixa um pouco a desejar porque as entrevistas sempre deixam de informar algo ou são um pouco enroladas.

Já na televisão o cara se transforma.
Quando não destila seu vocabulário pobre pra atacar os infratores, está fazendo brincadeirinhas sem graça... pelo menos pra os telespectadores.
Piadinhas que vão desde falar da faxineira ao pé descalço de um câmera.
A jornalista que faz as matérias então é uma pessoa tão sem imaginação que recentemente conseguiu fazer a seguinte pergunta para mulheres que estavam se arrumando pra um casamento comunitário: "você está feliz"?
Repetiu esta pergunta pra todas as 4 ou 5 que entrevistou.
Acredito que seja por "gênios" como ela que a exigência de diploma universitário tenha caído.
Simplesmente não dá pra elogiar absolutamente nada deste jornal, apenas lamentar a reunião de tantas pessoas incompetentes no mesmo espaço.

O mais triste é pensar que estamos desperdiçando espaço e tempo.
Poderiam estar diariamente dando notícias de verdade, mas não. Todos os dias é um tal de mostrar a prisão de "pés de chinelo", "nóias"... todo santo dia é isso. Só isso.
Raramente conseguem dar uma informação interessante.
Querem imitar o estilo do apresentador Ratinho (dono da emissora), mas por mais que não seja do meu agrado, admito que ele tem suas qualidades. Se perde muitas vezes, mas dentro do estilo sensacionalista consegue passar sua mensagem.

Muitas vezes, passam mais de 15 minutos "pagando sapo" um com o outro. E umas brincadeirinhas tão toscas.
Aí quando pensamos que vem uma matéria, lá vem um merchandiser... "Cogumelo Caiçara", "Mazur", "Maxi Mundial"... e dá-lhe piadinhas sem graça do Tony Lagos.

Isso quando não mostram feridas de presos, cuecas "borradas"... é um festival de porcarias.
Nada é elogiável. Nada.
Eu vejo porque meu marido é como todos os homens, dono do controle remoto, não consegue assistir um comercial sem dar uma "banda" em todos os canais.

Uma pena que até nisso Paranaguá seja prejudicada.
Tantas notícias, tantas formas de se usar racionalmente a televisão pra ajudar a população, mas não. Para eles o programa é só deles, enquanto se sentem "engraçados" e "espertos" tá bom.
Meu pai achava o cúmulo da burrice este programa.
A maioria dos meus amigos também concordam com isso.

Tanta coisa poderia ser feita pra ajudar a comunidade. Porém, acredito que atrapalhem mais que ajudam.
Ficam fazendo aquele assistencialismo barato, forçado... deprimente.

Deprimente... é esta a palavra que resume o que faz o Tony, a Diana, o tal do Paulo, etc...

Sem contar que o programa tem o nome errado.

Deveria ser o "Lixo de Paranaguá", porque de voz não tem nada, e litoral não sei se eles sabem mas vai além desta cidade...