sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Por favor vá embora.



Momento difícil, sentimentos que afloram dentro do peito e transbordam em formas de lágrimas sem motivos.
Dias e dias mal dormidos, convites não aceitos para ficar em isolamento.
Ressentimentos que não desaparecem, sentimento de inutilidade, sensação de ser invisível. 
O que me motiva hoje?
Nada.
Doença latente, anos e anos mascarei com analgésicos ilícitos, mas agora, 16 meses depois, sinto-a... 
Lá vou eu, não tem meus pais pra me colocarem num carro e me levarem mas tem uma mulher guerreira que quer viver muito bem e não se abate e não se entrega. 

Não escolhi este caminho, ninguém escolhe ter uma doença, mas posso combatê-la... sim, estou cansada, triste, sozinha, porém, nada tira minha fé de que nasci para ser feliz.
O mundo dá voltas, se hoje sofro, aceito com resignação, cada dia ruim será convertido em dias muito mais felizes.
É difícil, mas vou vencer mais esta... e dia 30, outra operação, outras dores, outros medos... mas embora eu diga estar sozinha, meus amigos não me desamparam.

domingo, 11 de agosto de 2013

Obrigada por me escolher como filha.



Há 4 anos esta data passou a ter um significado diferente, passou a ser apenas um dia aonde a saudade aperta o peito e as lembranças afloram.
O sentimento de gratidão é o maior de todos, mas não é como era quando o tinha aqui ao meu lado, não sinto que pertenço ao mundo dos que tem este privilégio: de ter Pai... até porque, não é apenas hoje que sinto sua falta, mas a mídia a intensifica, a cada propaganda, a cada oferta, a cada matéria.
Na maior rede social então, nem se fala, há os que se igualam a mim, sofrem pela ausência e os que estão felizes por terem os seus ao lado, mas também, como não poderia faltar, os hipócritas e apesar de não serem bons filhos ou nem terem bons pais, estão ali, rasgando-se em homenagens.
Tudo é válido nesta vida, tudo... quem sabe a partir deste dia um novo recomeço para tantos, tomara, tomara mesmo... o mundo precisa de mais amor.
Ontem fui com uma amiga ao centro, ela foi comprar o presente do sogro, lojas lotadas, ruas cheias de carros, engarrafamento, gente com sacolas... e eu não me encaixo mais.
Agora, ao menos, sinto a gratidão de ter tido um grande Pai, um grande Homem que me criou e me ensinou princípios que talvez só após ter amadurecido um pouco, eu os entenda.
Sinto falta de planejar o almoço de hoje, puxa pai, o dia está tão lindo, tão azul, um clima ameno, agradável, certamente se estivesse por aqui a churrasqueira estaria sendo preparada, pois adorava uma carne assada, o pavê de pêssego - seu favorito - estaria pronto desde ontem, seu presente o aguardando.
Fui adotada, mas sei que foi a forma com a qual Deus decidiu que deveríamos continuar juntos, pois não imagino outro pai, outra mãe, mesmo tendo que ter pago o preço da separação do meu irmão gêmeo, se fosse para escolher, escolheria vocês de novo.
Não basta ser pai, tem que participar, você participava.
Foi meu pai e da minha filha.
Sabia como ninguém nos entender, tínhamos uma cumplicidade, éramos tão ligados.
De tão Paizão que você era, hoje vejo meus primos sentindo sua falta porque foi pai para eles também, enquanto os seus trabalhavam ou apenas não conseguiam desempenhar este papel da forma como os filhos precisavam.
Porque cada um é o pai que consegue ser.
Somos humanos, imperfeitos...
O que vale são os momentos vividos, o exemplo deixado, por isto quando me perguntam "VOCÊ É FILHA DO LUDOVICO MIKOSZ?" respondo que sim, COM MUITO ORGULHO.
Porque sinto orgulho de saber que seu exemplo de dignidade, caráter e integridade moral são as marcas da sua personalidade que deixou saudades em todos que te conheceram.
Ainda é difícil aceitar e perdoar quem te magoou, ainda tenho ressentimentos, pois seria mais fácil se tivessem feito para mim, não para quem eu tanto amo.
Agradeço à Deus, por todos os momentos, apesar da minha doença, das minhas dificuldades, que me impediram de ser a filha que vocês mereceriam ter desde que me adotaram, sei que nos últimos anos da vida de ambos consegui ter o despertar, consegui lhes dar mais motivos para que se orgulhassem de mim, para que compreendessem a minha essência e sei que hoje, quase 1 ano e 3 meses desta nova forma de viver, aí do Paraíso vocês sentem uma enorme paz por saberem que finalmente entendi, que cometer os mesmos erros buscando resultados diferentes é pura insanidade.
Sei que me protegem, que continuam me amando, me vigiando...
Só tenho a te agradecer meu Pai, por tudo... e dizer que por mais que os anos se passem eu vou sempre amá-lo e torcer para que Deus propicie nosso encontro quando achar que for a hora.
Não tenho medo da morte, sei que a vida continua aí.


"...e uma enorme saudade aqui dentro do peito do peito ficou..."



sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Devaneios...pensamentos sem nexo...



Muita coisa ainda preciso modificar em mim... mas meus defeitos ainda estão enraizados: culpa, raiva, procrastinação, ressentimentos...ainda não consigo aceitar as pessoas do jeito que elas são.
Não sei lidar com as diferenças.
Se não sai como eu esperava, a frustração toma conta.
Ainda sou aquela que acredita nas pessoas e sofre com as decepções, que age pensando no bem alheio e que não sabe lidar com a falsidade.
Desonestidade é algo que entra em conflito com minha honestidade.
Penso que minhas ideias são melhores porque me vejo agindo motivada pelo coração, não gosto da hipocrisia, não gosto da ingratidão.
Não gosto da falsidade.
Quando sou amiga, sou amiga até debaixo d'água, mas aprendi que posso não gostar de uma pessoa, mas posso respeitá-la e no mínimo não ser falsa.
Estou numa fase que são as pequenas coisas que me trazem alegria... não penso muito na solidão, até porque, gosto, me cai bem.
Acredito em Deus, ele irá resolver minhas dificuldades pois sei que estou plantando...
Ainda tenho dificuldades em procurar as pessoas, quero ser procurada, mas ainda me sinto perdida quando me convidam e penso que é tão bom estar aqui... na minha casa, com minhas coisas...
Quero ler, quero estudar a literatura da minha Irmandade, quero falar dos assuntos com conhecimento, quero estudar o Evangelho, segundo o Espiritismo, quero desenvolver minha espiritualidade...
Tenho objetivos, não vou ficar aqui simplesmente vendo a vida passar... posso vender tudo e ir pra aonde eu quiser, neste momento quero ficar aqui, está bom, me sinto feliz, grata...mas posso mudar tudo... e quem sabe, amanhã mudo mesmo... só por hoje, sou dona do meu destino, responsável por minhas escolhas... nada me prende... sou livre... há 1 ano, 2 meses e 19 dias... foi a melhor coisa que fiz por mim...