domingo, 26 de setembro de 2010

1 semana... pra nada mudar!

No próximo domingo vamos às urnas, até por que não temos escolha.
Tem uns que agem como se fosse uma final de campeonato brasileiro, como se o resultado fosse um jogo.

Uma pena que o povo não saiba escolher.
Não tenho dúvida de que graças aos projetos de assistencialismo barato o povo manterá este governo no poder.

Preparem-se para o MST reinar soberano, invadindo e destruindo propriedades com o aval do governo federal.

Depois não reclamem para as câmeras de televisão quando seus entes queridos padecerem em calçadas sujas por falta de atendimento em hospitais precários nos subúrbios da vida.

O povo tinha que entender que aqueles que mais ouvimos falar, são os que mais gastam com marketing e publicidade.
Com estes candidatos o dinheiro rola solto, afinal, são tantos acordos e cargos negociados, empresários investindo 1 milhão pra lucrar 300 milhões.
Fazem aquelas propagandas emocionantes, com musicas pobres em rimas mais fáceis de serem assimiladas.

Eu queria um governante que me passasse credibilidade.

Ainda procuro...

domingo, 19 de setembro de 2010

A campanha está nas ruas... fuuuuuuujaaaaa!

Tenho percebido algo diferente nesta eleição.
Não há mais tantas casas ostentando orgulhosamente o nome dos seus escolhidos, nem tantos carros com adesivos.
Parece que a ficha está caindo. A desilusão é geral.
Quem vejo com propaganda política declarada são pessoas ligadas aos candidatos, sejam os que tem um cargo comissionado e não tem escolha senão tornar-se "cabo eleitoral forçado", sejam outros que tem algum tipo de ligação com este ou aquele candidato.

Percebo que como sempre a candidata que tem a máquina do governo na mão é a que mais tem propaganda nas ruas.
Aparece sorrindo, bem diferente do que é no dia a dia.
Só que isso não é dela apenas.
Quantos candidatos carrancudos estão na televisão com um largo sorriso, abraçando crianças, catadores de lixo e qualquer um que apareça pela frente?

Lembro da campanha pra governador em 2006. O Roberto Requião era só simpatia, levava tudo na esportiva, falava muito de paz e de amor.
Bastou reeleger-se (quase perdendo pro Osmar, diga-se de passagem) para no dia seguinte, diante de jornalistas incrédulos, deixar cair a máscara em frente as câmeras e esculhambar com um assessor porque não queria determinadas divisórias em um prédio recém-concluído.

Voltou a lançar a todos o olhar de quem quer que lhe obedeçam sem discutir.
O olhar de quem sente-se superior até do que o próprio Criador.

Não gosto dele, por motivos pessoais, pois há muitos anos, devido as críticas que meu pai fazia no Jornal da Manhã à sua administração, conseguiu impetrar um mandado e tirou meu pai da frente dos microfones por algum tempo.
Não admite ser criticado.
Vejo-o como um Hitler, um tirano maldito.

Porém, devo admitir, ele ao menos não tem medo de mostrar quem é de verdade.

Bem, o tema é a campanha.
Voltemos a ela.

Já notou como tem candidato? Aquela "promoter" é candidata, o empresário desconhecido também... nossa, como tem gente sonhando com o alto salário e as benesses do cargo público, tenho certeza que não pensam em nós.

Eu sou cética, não vejo um futuro melhor com estas caras que se apresentam. Talvez um ou outro.
Percebo que mesmo com a saúde pública um caos, com a situação de calamidade da segurança, entre outros, o Brasil está indo de mal a pior.
Mesmo assim, vamos continuar com a porcaria do PT.

Lastimável... reflete a cultura ignorante do povo.
Povo que não sabe discernir, que se deixa levar por belas imagens na televisão.
Eu me desiludi totalmente pois sou do tipo que acredita nas pessoas, mesmo naquelas que não conheço pessoalmente.
Queria o Lula no governo, ele vinha da classe operária, sabia do sofrimento do povo mais simples.

Foi uma grande decepção.
Ele se esquiva de todos os problemas, diz que não sabe de nada (Dilma idem), faz piadinhas, metáforas estúpidas, pensa que é o "cara", que resolve todos os conflitos mundiais, mas sabemos que não tem credibilidade alguma entre as nações do primeiro mundo.
É o "palhaço" do circo.

Só que quando se trata de miséria, sabem bem que para grande parte da população, se você der uma ajuda de custo (como Bolsa Escola, PET etc), vai tirá-los do zero e passá-los pelo menos para os quarenta.
Melhor ter 4 notas de 10 reais do que nenhuma.

É por isso que a Dilma irá se eleger.

Dilma é o produto de um projeto bem elaborado do PT para continarem no poder após a saída do "sapo barbudo".
O Lula é maior que o partido.
Dilma não.
Vamos ter que aturar novamente o Zé Dirceu, o Palocci.
Ela não vai apitar nada, só será um fantoche nas mãos deles.

Como eu queria não perder meu tempo tendo que votar dia 3/10.
Vai ganhar a política assistencialista que não ajuda nada nosso desenvolvimento.

Já aqui em Paranaguá ninguém irá se eleger.
Tem muito candidato. Alguns até sobrando.
Até queria ver uns dois lá na Assembléia, na Câmara não. Estes nomes que estão aí não me convencem.

Só sei que não aguento mais tanta palhaçada.
Hoje fui acordada pelo meu querido vizinho/empresário/candidato com sua musiquinha de campanha às 9h... HOJE É DOMINGO!O que passa na cabeça dos candidatos?

Poderíamos fazer uma lobotomia para entendermos melhor o que pensam...
O cara pensa que tocando sua musiquinha tosca bem cedo irá ganhar votos?
E fazendo carreatas em frente aos estabelecimentos de ensino e hospitais?
Será que imagina que assim convencerá alguém que é melhor?

Sem contar a quantidade de papel que toma conta das ruas, das calçadas, dos terrenos, das nossas caixas de correio, dos nossos carros...
Tenho tanto raiva deles por isso.
Queria juntar todo o lixo que deixam aqui e separar por candidato para jogar em cima de cada um.

Quanto dinheiro jogado fora!

Quando o povo aprender que aquele que mais aparece provavelmente é aquele que menos se poderá confiar,pois só com muitos acordos obscuros o sujeito consegue tantos recursos para campanha, talvez a gente comece a evoluir.

Porque por enquanto só vejo regresso.

sábado, 18 de setembro de 2010

A pobre Paranaguá...




É tão fácil criticar esta cidade, encontrar seus defeitos, suas carências. Difícil é conseguir tirá-la da inércia, fazê-la evoluir.
Toda cidade que tem um porto certamente é uma cidade evoluída, cheia de atrativos turísticos, com uma economia desenvolvida, uma vida cultural rica, uma estrutura impecável.

Menos Paranaguá.

O porto para alguns traz mais aborrecimentos do que vantagens.
Começando pelo fato de que os caminhões chegam exatamente pelo mesmo percurso dos turistas e moradores.
Mesmo tendo uma lei que proíbe e multe o desperdício dos grãos na rodovia, o que mais vemos é a carga escapando pelas frestas e "sujando" os acostamentos.
O problema não é apenas este, o pior é que acontecem acidentes devido a pista estar suja, especialmente com motoqueiros.
Geralmente são fatais.

Sem contar que o plano diretor da prefeitura é algo surpreendente, mas não por sua aplicação, mas justamente pela falta dela...
Todos sabem que é proibido a circução de caminhões em certas áreas, parece piada até, porque o que mais vemos nas ruas são eles. Não adianta chamar a Guarda Municipal, quando atendem o maldito telefone apenas fingem que mandarão alguém e nada. Muitas vezes após uma hora passa um guardinha com cara de bobo procurando o infrator.
Eu reclamo por um motivo simples: moro próximo a uma transportadora, minha casa é de esquina e diariamente os caras chegam, estacionam no meu portão e vão ali fazer acerto, assinar papéis, coisinha "rápida" de 30 minutos... se eu tiver que sair com o carro preciso aguardar.

Coloquei uma placa de proibido estacionar, mas quem disse que caminhoneiros sabem ler?


Este é só um dos problemas.

Paranaguá é suja. Feia. Chata.

A culpa é nossa. Embora eu não seja como muitos que vejo abrindo o vidro de seus belos carros importando e jogando garrafas, latas, papéis, enfim, mais um pouco estes "porcos cidadãos" tacam a mãe pelo vidro, não faço questão alguma de manter a frente da minha casa limpa.
Moro do lado de uma escola (de dia) e faculdade (de noite).
Tenho um cesto de lixo que estes tolos pensam que é lixeira.
Diariamente tem de tudo ali.
Deveria ser obrigação da prefeitura manter garis varrendo as calçadas, ainda mais pelo valor do IPTU que pago, já que moro numa das áreas mais valorizadas.
Só que ao invés de fazerem concurso pra aumentar o quadro, preferem encher salas com engenheiros, jornalistas, arquitetos, etc. O salário de cada um deles poderia pagar no mínimo 3 garis.
O porto deveria ser responsável em manter as vias de acesso sempre bem limpas. Infelizmente não ocorre isso, além de sermos brindados com aquele cenário dantesco, grãos misturados com pessoas, ratos e pombos, temos que suportar o mau cheiro.

Fico triste quando ouço meus primos e amigos de fora dizendo que a cidade continua a mesma "porcaria" de tantos anos atrás, que a cidade fede, que não tem opções.
Só concordo.

...e lamento...

Tenho pena de ver como esta cidade que meus pais tanto amaram, tão defendida por Ludovico em seus comentários jornalísticos, tem sido tão maltratada e expropriada...

Tudo culpa dos governates.
O povo ajuda também.

Não existe uma preocupação de aumentar a auto-estima do parnanguara, de ensiná-lo a admirar nossas riquezas naturais, o que temos de melhor.
As pessoas acham que tudo o que vem de fora supera o que temos.
Não se valorizam.

Temos uma ótima localização geográfica, estamos numa Baía, poderíamos ver esportes aquáticos ocorrendo no Rio Itiberê, poderíamos atrair campeonatos de caiaque, vela, jet ski, pescaria...
Poderíamos ter eventos gastronômicos nas Ilhas próximas.
Talvez fosse bacana incrementar a parte turística, levar as pessoas para passear de charrete pelas ruas da Ilha dos Valadares.
Ou quem sabe percorrer trilhas na bucólica Alexandra, para observar a natureza, os pássaros...

Poderíamos...

Se eu fosse embora desta cidade não sentiria saudades. É um triste fato, que infelizmente compartilho com muitos.

Noto que Morretes e Antonina pararam no tempo. Isso é positivo porque mantiveram aquele ar de cidade romântica do interior.
Conseguem atrair visitantes para praticar esportes, para participar das festas e por sua maravilhosa gastronomia.
Dá gosto verificar a limpeza das ruas, o cuidado com os casarões históricos.

Agora, alguém lembra que temos um dos melhores restaurantes do Brasil especialista em barreado?
É verdade, saiu no Guia da Revista Quatro Rodas.

Um lugar muito bacana.

Enquanto a mentalidade dos políticos for esta de querer fazer apenas o que é melhor pra eles e para cumprir "acordos" nada vai melhorar.

Porque além dos políticos terem sido um verdadeiro desastre (com exceção do Roque, na minha opinião), temos que conviver com o cartel formado pelos árabes que evitam a entrada de qualquer grande loja que possa vir fazer concorrência com as porcarias de baixa qualidade vendidas por eles...
A ACIAP só bloqueia o crescimento da cidade.
Não querem ouvir falar de franquias.

Depois quando chega o Natal fazem campanha para que compremos os presentes aqui.
Se ainda víssemos os impostos aplicados... mas convenhamos, no Brasil inteiro é assim, pagamos altas taxas tributárias e não temos uma boa escola, nem creches, nem saúde pública digna... o dinheiro vai pro bolso da gangue que nos comanda.

Tenho pena de Paranaguá, não era pra estarmos nesta situação.

domingo, 12 de setembro de 2010

Datas...

Semana passada foi o feriado tão esperado de 7 de setembro. Como na capital dia 8 é dia da padroeira, o povo de Curitiba pode emendar 5 dias diretos... nada melhor heim?!

Para mim foi dia de ir ao cemitério levar umas flores ao meu pai, que completou dois anos de partida.
Não é melancólico, apenas triste.

Pensar que já faz dois anos que não ouço sua voz grossa e firme.
Que não preparo seu prato de comida com todo carinho, sem um pingo de sal pra evitar a pressão alta.
Até hoje ainda penso nele (nela também) quando preparo um prato delicioso... penso comigo "eles iriam gostar".

A vida é muito boa, mas a morte estraga um pouco. Tira o brilho, machuca o coração.

Engraçado como lembramos de cada detalhe da pessoa que partiu. Lembro das unhas do meus pais, porque frequentemente eu as cortava.
Do cheirinho de sua pele, da cabeça com o cabelinho um pouco oleoso... da risada, das preocupações...
De cada gesto de carinho, do olhar que diz tudo.

A gente nunca esquece.

Recentemente caí de cama com uma forte virose, a única coisa que eu queria era tê-los ao meu lado, me cuidando, me acudindo... fazendo o drama que só os pais sabem fazer quando suas crias padecem... porque pai é pai, assim como mãe é mãe.
Parece piegas, mas não é.
Isso é algo forte.

Sinto muita saudades, nossa, só Deus sabe o quanto gostaria de encontrá-los, mas apesar disso, sinto-me bastante feliz, porque sei que é o meu destino.


Amo você pai!
Amo você mãe!