sábado, 18 de setembro de 2010

A pobre Paranaguá...




É tão fácil criticar esta cidade, encontrar seus defeitos, suas carências. Difícil é conseguir tirá-la da inércia, fazê-la evoluir.
Toda cidade que tem um porto certamente é uma cidade evoluída, cheia de atrativos turísticos, com uma economia desenvolvida, uma vida cultural rica, uma estrutura impecável.

Menos Paranaguá.

O porto para alguns traz mais aborrecimentos do que vantagens.
Começando pelo fato de que os caminhões chegam exatamente pelo mesmo percurso dos turistas e moradores.
Mesmo tendo uma lei que proíbe e multe o desperdício dos grãos na rodovia, o que mais vemos é a carga escapando pelas frestas e "sujando" os acostamentos.
O problema não é apenas este, o pior é que acontecem acidentes devido a pista estar suja, especialmente com motoqueiros.
Geralmente são fatais.

Sem contar que o plano diretor da prefeitura é algo surpreendente, mas não por sua aplicação, mas justamente pela falta dela...
Todos sabem que é proibido a circução de caminhões em certas áreas, parece piada até, porque o que mais vemos nas ruas são eles. Não adianta chamar a Guarda Municipal, quando atendem o maldito telefone apenas fingem que mandarão alguém e nada. Muitas vezes após uma hora passa um guardinha com cara de bobo procurando o infrator.
Eu reclamo por um motivo simples: moro próximo a uma transportadora, minha casa é de esquina e diariamente os caras chegam, estacionam no meu portão e vão ali fazer acerto, assinar papéis, coisinha "rápida" de 30 minutos... se eu tiver que sair com o carro preciso aguardar.

Coloquei uma placa de proibido estacionar, mas quem disse que caminhoneiros sabem ler?


Este é só um dos problemas.

Paranaguá é suja. Feia. Chata.

A culpa é nossa. Embora eu não seja como muitos que vejo abrindo o vidro de seus belos carros importando e jogando garrafas, latas, papéis, enfim, mais um pouco estes "porcos cidadãos" tacam a mãe pelo vidro, não faço questão alguma de manter a frente da minha casa limpa.
Moro do lado de uma escola (de dia) e faculdade (de noite).
Tenho um cesto de lixo que estes tolos pensam que é lixeira.
Diariamente tem de tudo ali.
Deveria ser obrigação da prefeitura manter garis varrendo as calçadas, ainda mais pelo valor do IPTU que pago, já que moro numa das áreas mais valorizadas.
Só que ao invés de fazerem concurso pra aumentar o quadro, preferem encher salas com engenheiros, jornalistas, arquitetos, etc. O salário de cada um deles poderia pagar no mínimo 3 garis.
O porto deveria ser responsável em manter as vias de acesso sempre bem limpas. Infelizmente não ocorre isso, além de sermos brindados com aquele cenário dantesco, grãos misturados com pessoas, ratos e pombos, temos que suportar o mau cheiro.

Fico triste quando ouço meus primos e amigos de fora dizendo que a cidade continua a mesma "porcaria" de tantos anos atrás, que a cidade fede, que não tem opções.
Só concordo.

...e lamento...

Tenho pena de ver como esta cidade que meus pais tanto amaram, tão defendida por Ludovico em seus comentários jornalísticos, tem sido tão maltratada e expropriada...

Tudo culpa dos governates.
O povo ajuda também.

Não existe uma preocupação de aumentar a auto-estima do parnanguara, de ensiná-lo a admirar nossas riquezas naturais, o que temos de melhor.
As pessoas acham que tudo o que vem de fora supera o que temos.
Não se valorizam.

Temos uma ótima localização geográfica, estamos numa Baía, poderíamos ver esportes aquáticos ocorrendo no Rio Itiberê, poderíamos atrair campeonatos de caiaque, vela, jet ski, pescaria...
Poderíamos ter eventos gastronômicos nas Ilhas próximas.
Talvez fosse bacana incrementar a parte turística, levar as pessoas para passear de charrete pelas ruas da Ilha dos Valadares.
Ou quem sabe percorrer trilhas na bucólica Alexandra, para observar a natureza, os pássaros...

Poderíamos...

Se eu fosse embora desta cidade não sentiria saudades. É um triste fato, que infelizmente compartilho com muitos.

Noto que Morretes e Antonina pararam no tempo. Isso é positivo porque mantiveram aquele ar de cidade romântica do interior.
Conseguem atrair visitantes para praticar esportes, para participar das festas e por sua maravilhosa gastronomia.
Dá gosto verificar a limpeza das ruas, o cuidado com os casarões históricos.

Agora, alguém lembra que temos um dos melhores restaurantes do Brasil especialista em barreado?
É verdade, saiu no Guia da Revista Quatro Rodas.

Um lugar muito bacana.

Enquanto a mentalidade dos políticos for esta de querer fazer apenas o que é melhor pra eles e para cumprir "acordos" nada vai melhorar.

Porque além dos políticos terem sido um verdadeiro desastre (com exceção do Roque, na minha opinião), temos que conviver com o cartel formado pelos árabes que evitam a entrada de qualquer grande loja que possa vir fazer concorrência com as porcarias de baixa qualidade vendidas por eles...
A ACIAP só bloqueia o crescimento da cidade.
Não querem ouvir falar de franquias.

Depois quando chega o Natal fazem campanha para que compremos os presentes aqui.
Se ainda víssemos os impostos aplicados... mas convenhamos, no Brasil inteiro é assim, pagamos altas taxas tributárias e não temos uma boa escola, nem creches, nem saúde pública digna... o dinheiro vai pro bolso da gangue que nos comanda.

Tenho pena de Paranaguá, não era pra estarmos nesta situação.