sexta-feira, 24 de abril de 2009

Aprendendo a viver um dia de cada vez



Um dos meus maiores problemas é a ansiedade.
Fico me preocupando com as coisas antes delas acontecerem.
Só que depois dos baques que tive na vida estou reaprendendo a viver... desacelerando...
Não é simples, nem acontece de uma hora pra outra.
É um aprendizado diário, uma vigilância permanente.

Também estou parando com este meu luto. Tenho procurado não pensar no passado com tanta freqüência.
Sim, a saudade será permanente, mas compreendo que a morte faz parte da vida. Não ao contrário.
No começo é realmente complicado acostumar-se, mas a vida continua, as pessoas precisam de mim... e eu delas.
Por ter fé em Deus e acreditar na eternidade da alma, sei que meus pais estão bem.

Tenho me sentido muito feliz, serena e tranqüila.
A gente sempre ouve que devemos valorizar o que temos e esquecer o que não temos.
Parece simples e óbvio.
Olhando ao meu redor quase transbordo de felicidade e esperança.
Sempre tive tanto desta vida.
Agradeço à Deus por tudo.
Uma filha linda, responsável, querida...uma mulher digna, cheia de qualidades.
Um marido fiel, companheiro, amigo e MÚSICO, que alegra meus dias.
Amigos com quem posso contar.
Uma família que está sempre por perto.
Uma cadela mansa e meiga.
Um teto que posso chamar de meu, uma cama gostosa e comida que nunca falta.

Pronto. Uma vida simples e perfeita.
A cereja disso é a saúde que todos temos.

Por isso, hoje, dia 24, decidi compartilhar minha vida que é uma benção com aqueles que precisam.
Meus pais não estão mais aqui, mas tem muitos que foram abandonados nesta vida e querem dar amor à alguém, mais que isso, eles precisam desesperadamente.

A partir de hoje tenho orgulho de dizer que comecei um trabalho voluntário no Asilo São Vicente.
Tenho certeza que conseguirei fazer a diferença na vida destas pessoas, da mesma forma que elas passam agora a fazer parte das prioridades da minha vida.

De novo, sinto o amor transbordar em meu peito!

O futuro será bem melhor, sei disso. Logo, conto mais sobre esta nova etapa apaixonante.
Quero ver se não desperto a semente da solidariedade em mais pessoas.

sábado, 18 de abril de 2009

Pequenas coisas...

Manhã de sábado ensolarada, céu azul, temperatura amena.
Acordei antes das oito para ir à feirinha atrás da Catedral.
Senti felicidade por estar com saúde para poder executar estas tarefas simples.
A vida pacata que tanto abominava há alguns anos, hoje me enche de alegria.

Impossível não sentir falta do meu pai nestes momentos, pois era ele meu companheiro algumas manhãs.
E sempre encontro alguns de seus velhos amigos.
Pelo menos estou aprendendo a conviver com a falta que ambos me fazem.

Bem, mas esta postagem é para ser alegre, não saudosa, nostálgica.

Nada mais perfeito do que um dia amanhecer com o sol brilhando.
Tudo fica mais belo, tudo tem poesia, nos traz esperanças...
Passei pelo Rio Itiberê, com suas águas calmas e prateadas pelo reflexo do sol.
Um barco de pesca nesta paisagem e pronto, um cenário deslumbrante para um pintor.
Esta parte da cidade é linda, pena que pouco valorizada.

Havia um período da minha vida que se me vissem acordada tão cedo poderiam ter certeza que havia passado a noite em claro. Bebendo...
Foram alguns anos jogando a vida saudável que tinha no esgoto.
Pena que quando somos jovens pensamos que podemos fazer TUDO.

Ainda bem que a minha filha tem bem mais maturidade que eu!

Ainda bem que estes anos ficaram no passado, enterrados.

Como é bom ser saudável, acordar cedo e fazer coisas simples como comprar verduras e frutas sem agrotóxicos pra nossa família.

Tenho muita paz em minha vida.
Também não me falta harmonia.
Não é que eu viva num conto de fadas aonde tudo é perfeito.
Claro que tenho meus momentos ruins.
Claro que vez ou outra me desentendo com minha filha ou meu marido.
Faz parte da vida.
Só que na maior parte do tempo a vida é sossegada.

Com quase 40 anos (faltam 4) posso dizer que sei quem eu sou, me conheço bem.
Conheço meus defeitos, minhas falhas e meus deslizes.
Procuro me concentrar para não deixar o meu EU depressivo tomar conta do meu EU alegre.
Reflito e exijo de mim uma postura coerente.
É uma luta diária, sem remédios, apenas com o poder da mente e força de vontade.
De vez em quando páro, analiso meus pensamentos negativos e procuro afastá-los.

Num dia como o de hoje aonde tudo está em harmonia, agradeço à Deus e deixo que o sentimento de alegria e esperança tomar conta do meu ser.

Tudo fica lindo: o canto dos pássaros, a borboleta, os idosos na ferinha...

Sou uma felizarda por tudo que possuo.

A vida é assim, simples e está na simplicidade a sua maior característica.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Preocupe-se...




PREOCUPE-SE MAIS COM SUA CONSCIÊNCIA DO QUE COM A SUA REPUTAÇÃO.

SUA CONSCIÊNCIA É AQUILO QUE VOCÊ É.

SUA REPUTAÇÃO É O QUE OS OUTROS PENSAM DE VOCÊ...E O QUE ELES PENSAM É PROBLEMA DELES!

PROBLEMA SEU ENTÃO... TENHO MINHA CONSCIÊNCIA TRANQÜILA!

A vida é pra se viver irmão... por que alguns estão nesta prisão?

Todos os dias dezenas de pessoas viciadas em crack perambulam pelas ruas desta cidade...
Sujas, maltrapilhas e cheirando mal, estes coitados se reduzem lentamente à escória da raça humana, de uma maneira degradante.

Perderam seus referenciais, sua dignidade, sua identidade.

Alguns alucinados se oferecem pra fazer qualquer serviço que lhes renda o suficiente pra comprar uma pedra...
Tenho pena deles.
Tenho raiva também.
E medo... por duas vezes sofri algum tipo de agressão.

Lembro que quando era mais jovem, na adolescência; não existia o tal do crack.
Esta pedra maldita veio pra destruir a paz.
Além destas almas "penadas" que vagam como cachorros sem rumo, existem jovens que por diversão estão fumando pedra como se fosse um "complemento" pra night...

O crack destrói muito rápido e pode matar desde o primeiro dia que você o consome.
Além de ser uma das drogas mais viciantes existentes no mundo atual.


Um dos viciadinhos jogava bola profissionalmente, era colega do meu marido.
O hoje cara está só pele e osso.

Não condeno quem usa droga.
Não sou careta.
Porque eu penso que se existe e se as pessoas procuram cada vez mais é porque alguma finalidade elas devem ter.
Nem que seja pra você comparar como é bom viver limpo e como é horrível viver "doidão".
Muitos aprendem só através da dor.
Eu faço parte destes sobreviventes.
Só que tudo na vida deve ter um limite.
Por isso me preocupo tanto com estas pessoas que ultrapassaram a linha.

São tantos jovens, tantos... gente com saúde zerada, pois pra agüentar em pé a vida que levam só podem ser muito fortes.
Eu perdi uma amiga que se deixou levar pelas drogas.

Da última vez que a vi ela estava tão doente que senti vergonha e não conseguimos conversar devido ao seu estado.
Não sinto culpa de dizer isso, pois muita gente tentou ajudá-la.
Foi internada, tinha filhos, mãe...
Só que surtou.
Vivia com os mendigos na praça, sempre tomando cachaça, sempre suja... sempre.
E era uma moça tão bonita.
Lembro que alguns nos confundiam, pois tínhamos muitas caracterísiticas físicas parecidas, mesmo estilo "hippie" de ser.
Era muito trsite vê-la daquela forma, presa ao vício.
Longe da realidade.

Acabou morta dentro de uma vala na praia.

O mundo ideal pra mim seria um lugar sem droga nenhuma, nem armas e sem dinheiro. Deveríamos continuar vivendo de escambo.

Muitas vezes sinto saudades do meu tempo de infância porque a vida era bem mais bela, tinha um ar de inocência.
A gente tinha "medo" de quem cheirava cocaína.


Muitas vezes quando estou na Ilha do Mel, sinto vontade de morar lá, me dá certa inveja do pescador que nunca saiu dali e não sabe como é o mundo no continente.
E olhe que ontem prenderam um casal lá vendendo maconha... mesmo assim, se a pior droga existente fosse a cannabis o mundo seria bem mais sossegado...

Vontade de não me informar de tudo como faço.
Tanta notícia ruim, tanta...

Será que dá pra crer que ainda vai melhorar?

Eu tenho fé que sim.
Só que penso que vamos ter que chegar no limite para que aconteça uma ruptura e algo de bom apareça.

Um novo big-bang pra raça humana...

Muito prazer, meu nome é SINCERIDADE.

Fui criticada porque meu blog anda muito nostálgica.
Realmente... quando não estou com saudades dos meus pais e da minha infância, sinto falta dos ídolos que se foram.
Não vejo isso como um problema, acho normal quando se chega quase aos 40 anos. Pelo menos entre meus amigos sempre temos nossos momentos de nostalgia...
Preocupante é quando a pessoa tem seus 14, 15 anos e sente falta do passado.
Imagino quando chegar a minha idade então!?
Neste caso pode estar associado a uma depressão.

Pois é, eu estou nostálgica e continuarei assim porque não é um problema.
Não tenho culpa de ter tido pais maravilhosos dos quais sinto muita saudade e com isso revivo fatos do meu passado.

Minha vida hoje é ótima, sem dúvida.
Seria melhor se meus pais estivessem aqui...

Todo o ser humano é nostálgico, só algumas pessoa mal-amadas e mal-resolvidas é que pensam que não serão um dia.
Eu não vivo do passado. Tenho meus momentos e canalizo aqui, escrevendo.
Porque uma das minhas tantas qualidades é escrever.

Podem vir aqui me atacar com comentários infundados;
Podem destilar seu rancor, sua inveja, suas mágoas.
Tenha certeza que tudo o que me dizem de crítica é bastante analisado, porém, não me deixo abater facilmente por pessoas infelizes que não querem ajudar, apenas tentam me colocar pra baixo.
Não é fácil heim... vão ter que se esforçar muito mais.

Antes de ser esta mulher forte e determinada, passei por vários ´"perrengues".
Eu era a adolescente mais magricela da turma, as pessoas debochavam de mim quando eu usava saia porque minhas pernas era finas... era um tal de "pau-de-sebo", "pau-de-vira-tripa"... hoje sabemos que isso é o famoso "bulling".
Eu não deixava por menos, rebatia cada crítica.
Só que no fundo, no fundo era bem ruim.
Porque a adolescência já é um período cheio de dúvidas, medos.
Por outro lado, eu estava sempre cercada de amigos, poderia até ser a "vela" dos programas, mas quem escolhia aonde ir era eu... pelo menos isso né...

Depois quando "engordei" um pouquinho, arranjei um namorado e engravidei.
Isso com 18 anos.
Contei com todo apoio dos meus pais.
A relação havia acabado, mas sinceramente não me fez e não faz falta alguma.
Quando se tem uma base sólida familiar a gente enfrenta os problemas de forma mais tranqüila.
Uma das melhores coisas que me aconteceram foi ter gerado a Jéssica.
Ela é uma criatura especial, única.
Modéstia à parte: BELÍSSIMA. Por dentro e por fora.

Foi o melhor presente que dei aos meus pais.

Os anos foram passando, cometi erros, acertei muitas vezes, como qualquer ser humano.
Então descobri que tinha depressão, um irmão gêmeo... e aos poucos as coisas foram se encaixando dentro do meu peito.
Foi por volta dos 23 anos que descobri realmente quem eu era.
Ainda dei umas cabeçadas no campo amoroso.
Tive minha fase "Cazuza" na vida.
************************

Só não virei lésbica.
De mulher na relação já basta eu.
Sem contar os motivos físicos. Jamais conseguiria me relacionar com um vibrador... rsrsrsrs...

************************

Convivo com o Hélio há quase 10 anos e temos uma relação que beira à perfeição.
Porque o que é perfeito pra mim pode não ser pra você que está lendo.
Somos felizes, somos fiéis, temos uma vida sossegada.

O que terminou por moldar o meu caráter foram os 3 últimos anos.

O ano de 2006 no qual eu passei por um tratamento pesado. Entrei em outro mundo, que espero que nunca meus desafetos entrem.
A vida só tem graça se tivermos saúde.
Você pode estar cheio de dívidas, mas se todos os dias pensar que tem saúde pra correr atrás do prejuízo o fardo ficará mais leve.

Todos os dias eu acordo e mentalizo pensamentos positivos, peço proteção e perdão. Porque eu erro muito.

Confesso que ainda não me recuperei dos dois baques que levei em 2007 e 2008.
Sei que um dia passará, afinal, a vida segue seu curso e ninguém vai embora antes da hora.

Posso ser grossa, estúpida muitas vezes, mas a minha essência ninguém muda.
Minha alma é pura, feita de amor e bondade.

E cuido apenas da minha vida que já é cheia de preocupações.

Enquanto eu vivo... tem gente que me cuida... fazer o quê, nunca passei desapercebida mesmo.
Isso incomoda os insgnificantes fracos e covardes.

Quem sabe um dia vocês amadureçam não é... quem sabe...

NUNCA CHEGARÃO AOS MEUS... E JAMAIS FARÃO MINHA CABEÇA (BOB MARLEY)

Pratique gentileza!

Eu sei, se você me conhece um pouco vai dizer "olha quem fala, cavalga-dura do jeito que é"...
Verdade, não sou uma pessoa muito paciente e nem tão tolerante como deveria ser.
Ainda me aborreço com injustiças e brigo com quem age errado.
Queria relevar muita coisa, mas vez ou outra caio na tentação de dar um chega pra lá em algum idiota que cruza meu caminho.

Pra quê né?
Pra que ficar perdendo tempo com gente que insiste em ser infeliz e fazer com que os outros sejam.

Um dia, a pessoa acorda de mal com a vida e sai dando "pedrada" em todo mundo que encontra em sua frente. Até tombar com alguém como eu.
Minha mãe era um doce de criatura.
Sabe aquela história de dar a outra face se você levar um tapa? A mãe era assim...
Demorei muito a entender que isso sim é viver, pois responder à uma ofensa não nos leva à nada, só a discórdia, ódio e raiva.

Como não sou um ser humano perfeito, muita vezes acabo entrando em conflito com algum mané mal-amado.
Quando percebo que estou sucumbindo à cólera que estas situações me trazem, procuro respirar fundo e praticar gentileza.
Porque tudo o que se planta hoje pode dar frutos amanhã.
Se eu conseguir se gentil sempre, a vida me dará isso em troca.

Positividade atrai positividade.

Não é fácil.
As palavras ditas agora parecem simples de serem executadas no cotidiano.
Só que não é bem assim.

Imagine que você precisa resolver problemas sérios de ordem financeira, além dos probleminhas chatinhos que fazem parte do seu dia-a-dia.
Sem mais nem menos, você cruza alguém mal-humorado que te trata mal e com indiferença.
É o estopim pra você canalizar todo seu descontentamento.

Se eu pudesse pedir algo à Deus ou a um gênio qualquer, pediria pra ter mais paciência.

A paciência é uma virtude, não é fraqueza não.
Muitas vezes o maior sábio é aquele que se cala diante de um tolo.
Como gostaria de ser sábia.

Senhor... concedei-me paciência pra agüentar os tolos que me perseguem por me invejarem...

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Tenho nojo...

Não há duvidas de que graças à globalização mundial, o acesso a rede de computadores está se tornando cada vez mais rotineiro na vida dos brasileiros.
Crianças de 10 anos tem orkut e msn.
Não que eu ache recomendável, mas acontece.

O orkut é ótimo pra acharmos informações de pessoas e assuntos diversos.
Existe uma variedade enorme de comunidades.
Foi uma destas comunidades que me ajudou a superar a depressão na fase do tratamento. Nunca havia parado pra pensar que existiam grupos de pessoas reunidas por causa de uma doença.
Foi lá que recebi força e dei muita esperança, conheci pessoas, histórias de sofrimento piores que eu.
Sem contar a troca de experiências.
"Eu faço/fiz quimioterapia" é uma daquelas comunidades que vou estar sempre de olho e jamais deixarei.

Só se excluir minha página. Acho difícil.

Houve um tempo em que havia uma comunidade muito agitada, totalmente local.
Pessoas da cidade discutiam os mais variados temas.
Muitas vezes as discussões terminavam em ofensas pessoais, aí desandava tudo, mortos e feridos pra um lado, "pseudovencedores" pra outro.
Porque infelizmente quando se trata de mundo virtual tem gente que se torna CORAJOSO e descarrega o verbo.
Realmente é mais fácil discutir sentado, sem abrir a boca...

Outra dificuldade, que também enfrento na comunidade da qual estou moderadora há um mês, do Bob Marley (mais de 410 mil membros!), é as pessoas não saberem aceitar uma opinião contrária à sua sem querem se impor e sem ofender.
Como é difícil, tem gente que simplesmente sente-se o dono da verdade.

Eu tenho uma tendência forte a ser do contra.
Tenho que ficar me policiando inclusive.
Só que aprendi a respeitar as pessoas, então prefiro me calar muitas vezes pra não discutir.
Criei uma comunidade quando entendi que estava fazendo parte de um grupo que manipulavam a realidade, distorciam a verdade, cometiam injustiças.
Foi bem radical tomar esta atitude, porque eu simplesmente adorava a "Debates do Litoral".
Lá diariamente ficávamos informados do que rolava na cidade.

Só que pra mim existem duas coisas: o certo e o errado.
Fugi do erro e pensei que poderia reunir um grupo de pessoas inteligentes para continuar debatendo, mas cortando exageros e baixarias.
No início até que parecia uma coisa... o tempo passa e você vai descobrindo que o mundo virtual deve ficar aqui dentro deste monitor mesmo.
Acho que sou muito ingênua, acredito nas pessoas, nos que fingem ser meus amigos, depois quando me decepciono é difícil superar.
Tem gente que muda do dia pra noite. Não consigo entender. Não mesmo.

Com o tempo as pessoas vão se revelando.

Também nem fico esquentando a cabeça.
As pessoas são falsas e prefiro a falsidade bem longe de mim.

No momento tá rolando uma discussão sobre uma pessoa da cidade correr o risco de ser processada porque falou numa outra comunidade algumas coisas sobre vereadores.
O seu único erro, para mim, foi postar em horário de serviço, sendo ele um servidor público pra agravar a situação.

Sem hipocrisia, mas não soube de todo conteúdo das postagens porque me confiscaram o perfil fake que tinha espionando lá, mas o que chegou a mim não era pra tanto.

Se as pessoas lêssem o Diogo Mainardi, Arnaldo Jabor, Bárbara Gancia e José Simão talvez não ficassem tão chocadas com a verdade dita de forma escrachada.
Parece esta história da Record com a Folha de São Paulo.

Que respeito tem os políticos, de uma forma geral, com a cara dos eleitores??? Acordos milionários, licitações fraudulentas, nepotismo, fraude em concursos, aumento de salários, verbas e mais verbas pra uso pessoal... que é isso?
O brasileiro está cansado mas não faz nada.
Absolutamente nada.

Não vejo ninguém entrando na política pra ajudar o povo de verdade.
Quantos projetos de lei não são votados porque dias como o de hoje, sexta-feira, não há mais ninguém lá em Brasília.

Não vou cair na asneira de falar da política local, pois seria processada como o Cleverson, talvez será.
Talvez porque se ele for uma pessoa bem relacionada isso não passará de um mico.
E espero que não passe disso mesmo.
Tantos deveriam estar presos por fazerem coisas muito piores e estão aí pousando pra fotografias de terno e gravata, comprados com o "auxílio-terno" através do nosso dinheirinho.

Sinceramente... TENHO NOJO DE HIPOCRISIA...