quarta-feira, 26 de maio de 2010

Felicidade!





O que é isso, já parou pra pensar?
Tem gente que realmente não liga pra ela, vive amuado, reclamando de tudo. Não conseguem sentir isto, esta tal felicidade.
Cada um sabe o que lhe faz feliz. Pode ser que muita gente não entenda como você pode se satisfazer com tão pouco.
Ou com algo tão idiota.

Do mesmo jeito que me pego pensando às vezes de determinadas situações.

Não importa.
Ao menos que você tenha um distúrbio ou uma doença como a depressão, algo lhe traz felicidade.
Independe de dinheiro, de posição social, de grau intelectual.
Existem pessoas extremamente felizes nas favelas e pessoas com conta bancária exageradamente polposa que são infelizes.
No meio do luxo... um lixo de vida.

Acredito que tudo possa ser modificado sempre.
Sempre há um meio, sempre há uma saída.
A vida é uma dádiva divina, não pedimos pra nascer, se estamos aqui é pra tentarmos ser felizes.
Difícil pensar nisso quando tudo vem contra, eu sei.
Só que não podemos nos entregar toda vez que a vida machuca nossa alma. Nem sempre é fácil. Precisamos aceitar os fatos e tirar sempre algo de bom pra nossa vida.

Uma das coisas que mais alegria traz a minha vida é poder estar de frente ao mar.

Dormir ouvindo as ondas batendo nas pedras... hummm, quero fazer isso ao menos uma vez ao ano...este sentimento maravilhoso revigora nosso ser.
Tudo é tão perfeito, somos tão pequenos.
Nem sabemos até quando ficaremos aqui.
Ou estaremos com os que amamos.

Por isso, mesmo que tudo lhe dê motivos pra ficar triste... lembre-se que algo bom está guardado pra você. É só buscar...

sábado, 8 de maio de 2010

Mãe...






Alguém já disse: "ser mãe é padecer no paraíso".
Com todas as dificuldades que esta relação nos traz, acredito que não há amor maior em nossa vida do que este materno... talvez só o paterno.
Mãe é bom, mãe resolve os problemas, mãe está do nosso lado, mãe sempre nos ouve, mãe quer sempre o melhor pra gente, mãe não nos deixa ficar só, mãe é por nós (sim, ela é ligadinha com Deus), mãe surpreende, mãe aconselha, mãe põe no colo, mãe alimenta, mãe se preocupa, mãe se orgulha, mãe sente medo...
Mãe...
Mãe...
Mãe...

Há de ficar feliz aqueles que ainda podem tê-la.
Há de ficar feliz aqueles que um dia já a tiveram.

Mães são únicas, assim como únicos são todos os seus filhos.
Não tem como, quem é mãe sabe, que nós sentimos o coração apertar quando pensamos que nossos filhos sofrem, correm riscos.
Nada pior pra uma mãe do que ver lágrimas no rosto de um filho e nada poder fazer.

Mãe é uma extensão do nosso corpo, do nosso eu.

Quando a gente tem mãe, a gente sabe que tem um porto seguro... que aquele colo estará ali nos esperando mesmo depois de adultos.
Uma benção em nossas vida são elas.

Não quero falar de mães ruins, mães que abandonam, espancam, desprezam, humilham...

Quero lembrar das mães que são como a minha foi.
Mães de verdade.
Mães de fibra.
Mães de coragem.
Mães que se anulam pela felicidade de um filho.

Que lindo exemplo de mãe eu tive com a minha.

Mãe presente, mãe amável, mãe preocupada, mãe guerreira, mãe leoa, mãe dedicada.
Mãe, minha mãe.

É nela que sempre me espelhei pra criar a minha filha.
Quebrei a cabeça no início por imaturidade, claro que nem tudo foram flores sempre.
A gente erra quando é jovem e pensa que sabe tudo.

Eu aprendi com ela que mãe tem que mostrar pro filho que este pode contar sempre, que mãe é pra tudo.
Por isso procuro pensar antes na Jéssica, no que será melhor pra ela... em como deixar o mundo menos cinza, em como trazer mais brilho e amor ao seu dia-a-dia.
Talez muitas vezes o amor não venha em forma de beijo e abraço, mas através de atitudes.

Ser mãe é o papel mais importante da minha vida e o que mais valeu a pena...

E minha mãe está guardada pra sempre nos nossos corações.

terça-feira, 4 de maio de 2010

O tubarão no pico dos surfistas em Matinhos



Recentemente apareceu no mar de Matinhos/PR, um tubarão.
Os pescadores não tiveram dúvidas e saíram a caça do animal, protagonizando uma cena dantesca, digna de filmes de aventura e ação.
Mataram o tubarão e dividiram sua carne.

Triste matar um animal que, por mais que não seja indefeso, não entrou ali com o claro objetivo de caçar.
Pode até ser que tenha entrado, sei lá.
Só que raramente isso acontece.
Diferente das águas quentes de Pernanbuco aonde os ataques são mais frequentes, nosso litoral não atrai estes animais sempre.
Sorte nossa. Deles também.

Ecologicamente falando, foi de uma barbaridade enorme matar o bicho.
Primeiro porque não estava invadindo nosso habitat, apenas se aproximou mais do que o normal da costa.
Realmente, o pico de Matinhos ferve de surfistas, mas e daí?
Teriam eles mais direitos de surfar do que o tubarão de nadar calmamente?
Matar... vão matar tubarão por tubarão que apareça ali?
Esta é a solução mais fácil?

O ser humano realmente em muito casos é pior que um animal.

Autoridades, IBAMA, ONGs de defesa aos animais, me parecem não existirem nesta cidade.
O certo seria pedir para que os surfistas se afastassem da água até o bicho voltar ao alto-mar.
Porque mataram um, mas será que não aparecerão outros?
Daí? Vão matar um a um?

Também olhei a situação pela ótica dos humildes pescadores.
Provavelmente, muitos dos que participaram da ação deveriam surfar ali ou ter filhos que surfassem naquele pico.
Realmente, se eu soubesse que algo ameaça a vida da minha filha eu me desesperaria.
Talvez não pensasse duas vezes antes de mirar um arpão na cabeça do bicho.

Por isso, precisamos de alguém de fora para que não façamos o que nos der na cabeça.

Os órgão competentes deveriam ter se posicionado, afinal, nunca soube de alguém ter sido atacado, se houve, não deve ter sido frequente.
A quem cabia proteger o tubarão?

A morte de um ser que ficou indefeso diante de lanças e pauladas é algo assustador.
Só a ignorância justifica um ato tão cruel.
Por isso que no mundo existem aqueles que nasceram pra comandar e os que precisam obedecer, neste caso, um inconsequente comandou e alguns tolos o seguiram.

Já imaginou se os pescadores que lotam os rios do pantanal resolvessem matar todas as onças que cruzassem seus caminhos... ou os jacarés... opa!
Já fazem isso né?
Por isso que há tantas espécies em extinção.

A cena é triste, nos torna tão irracionais quanto qualquer animal.

Muitos seres humanos me causam vergonha.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Saudades...



Aproveitando este lindo vídeo que fala de saudade de maneira tão sensível, resolvi falar deste sentimento mais uma vez...
Até porque sentir saudade na véspera do Dia das Mães, é algo até já esperado.

Saudade é algo complicado, ninguém escolhe ter.
Ninguém tem por objetivo sentir saudade...
Não dá para planejar, nem é fácil livrar-se dela.
Só quando o objeto da nossa saudade torna-se real de novo.

Um filho que volta de uma longa viagem, o marido que retorna no final da semana, a amiga que reaparece de repente...
Talvez a saudade seja apenas um desejo de se degustar alguma comida ou apenas de sentir o cheiro de determinado perfume.
Podemos sentir saudades de retornarmos a algum lugar incrível.

Há saudades e saudades.

Saudade de alguém que já partiu (como eu sinto), é quase impossível de se resolver.
Você pode assistir uma imagem da pessoa num aparelho de DVD, por alguns minutos pode deixar de sentir saudades da voz, do jeito, mas a saudades de abraçar, de beijar, ah... não tem como.
E como a saudade machuca quando nos deparamos com a imagem do ente querido nos observando numa foto ou congelado pra sempre naquele Dia das Mães de alguns anos atrás...

Saudade dói.
Saudade mata.

Saudade é um dos sentimentos mais profundos que existem.
Podemos sentir saudades de uma determinada época da vida, de quando éramos pequenos, de quando nossos filhos eram pequenos, de quando éramos alunos aprendendo numa cartilha as primeiras letras.
Saudade de sentir aquela alegria especificamente.

Saudade de acreditar que o dia do seu aniversário é o mais especial do mundo...

Saudade do tempo em que corria pro colo dos seus pais quando sentia medo.
Ou de quando fingia dormir na cama deles pra ser levado no colo.

Pode doer, mas é através da saudade que mantemos vivas dentro de nós lembranças de tudo de bom que passamos, sentimos, vivemos.
Ninguém sente saudade de algo ruim, de gente que nada significa.

Saudade está ligada ao amor.

Você pode sentir saudades de um ex-namorado de quem não recebe notícias há tempos, mesmo sem amá-lo, apenas por causa do "querer bem".
Pode sentir saudades daquela vizinha querida que nunca mais viu.
Daquele cachorro que foi seu na infância.

Você pode sentir saudades de você mesmo.
Porque com o passar dos anos vamos nos moldando, nos reciclando, adquirindo cicatrizes na alma e perdemos o encanto infantil.

Acontece de repente.
Lembro bem do dia em que completava 16 anos, estava dentro de um ônibus indo pro colégio, exatamente na ponte que liga São José à Floripa.
Estava longe dos amigos, ninguém, a não ser minha família sabia que era um dia tão especial.
E de repente me dei conta de que o dia não tinha nada de diferente, o céu estava azul, a água verde, teria todas as aulas...

Sinto saudades de quando achava que o dia do meu aniversário era um fato extraordinário!

Vamos ficando maduros e perdemos um pouco da nossa magia.
Que bom se nunca acontecesse isso, se todos os adultos conseguissem levar este encantamento pro resto da vida...

Ai saudades...

Viver com o peito repleto por ela não é fácil.
Tem grandes saudades, saudades que podem ser resolvidas, saudades de todos os tamanhos, de todas as formas.
Ela brota no coração e se enraiza por todos os órgãos.

De repente você está arrumando seu guarda-roupa e encontra uma blusa antiga, se lembra da última vez que a usou, ou de quanto ficou feliz ao comprá-la.
E lá vem ela de novo...

A saudade é assim, chega a qualquer momento.
Você pode estar caminhando e cruzar na sua frente um FIAT 147, não é só um carrinho velho, te traz a mente milhares de recordações.

Uma música, um cheiro... os comerciais antigos... quem nunca deu uma pesquisada no youtube se ficou horas vendo todos eles?
Tem aquele e-mail com várias fotos de produtos dos anos 70...

Saudade signfica que há algo de bom pra ser revivido.
Triste daquele que não sente saudades de nada, de ninguém...

A gente só não pode deixar que ela páre nossa vida, nem que nos tire a fé do futuro.
Porque um dia sentirá saudades do dia de hoje e das pessoas que estão ao seu lado agora.

domingo, 2 de maio de 2010

Um dia lindo de sol...

Final de domingo, ontem foi feriado e fomos brindados com a presença do Rei Sol neste fim de semana que termina.
Nada como acordar cedo num sábado e encontrá-lo iluminando nossos primeiros minutos de mais um novo dia.
Poder ir à feira com sua filha, comer uma tapioca, um pastelzinho...

Levar seu cachorro, nem que seja pra se arrepender porque o bichano não pára quieto.
Falo da cocker, não da rottweiller, que sempre quis levar mas por razões óbvias nunca o fiz.
Encontrar pessoas, comprar frutas e verduras frescas.
Como adoro isso!

Muitos aproveitam pra lavar o carro, a calçada, o cachorro.
Há os que aproveitam pra tomar banho, dizem os mais debochados.
O sol ilumina a vida de todos.
Dá uma aquecida no coração, vai dizer que nunca sentiu isso?

Olhar o mar e sentir o sol é perfeito...
Ver o reflexo dele pentrando a queda de uma cachoeira é fantástico.

O dia fica mais gostoso, o churrasco com os amigos, o almoço com sua família, o passeio até a praia, a voltinha com os filhos pela cidade.
Os parques se enchem, são crianças, pais, avós, cachorros.
O cara que corre, as mocinhas que saem de saia curtinha deixando as pernas de fora.

Isso é para começarmos o mês de alma revigorada, cheios de esperanças e com muito otimismo.