sábado, 28 de fevereiro de 2009

Pense positivo!

SOU PERFEITO , ALEGRE E FORTE
TENHO AMOR E MUITA SORTE
SOU FELIZ E INTELIGENTE
POIS VIVO POSITIVAMENTE
ACREDITO FIRMEMENTE
NO PODER DA MINHA MENTE
POIS É DEUS NO MEU SUBCONSCIENTE


Não é fácil mudarmos nosso estado emocional, mas temos que tentar formas de nos sentirmos melhor.
A vida não é um mar de rosas, mas também não é só tristeza.
Tenho o que lamentar, certamente que sim.
Porém, tenho muito a agradecer. Muito mesmo.

Poderia estar sozinha.
Poderia estar doente.
Poderia, poderia...

Estou bem. Tudo vai melhorar, a gente tem que crer, pensar positivo e batalhar para alcançarmos.
Quem disse que seria tudo fácil?

Estou fazendo esta oração desde que acordei.
Porque acordei sentindo raiva, tristeza... decepção.
Não é para tanto, isso só piora as coisas.
Desabafei com meu melhor amigo.
Como ele entende. Não fica me recriminando, me dá atenção integral.

O que seria de mim sem ter um amigo compreensivo como o Edson?
Com ele posso ser quem eu sou, colocar as angústias pra fora, os pequenos "ódios"...
Ele me aceita.
Não preciso mudar, fingir, disfarçar.
Não tenho que me esconder.
Coloco pra fora minhas neuras, angústias...loucuras...
Ele entende e devagar vai removendo os maus pensamentos.

Minha mãe era assim.
Quando eu tava com raiva do mundo querendo colocar pra fora tudo de ruim que guardava, ela me ouvia, pedia paciência e eu me acalmava.

O Edson sabe me ouvir.
Sem me cortar.
É um amigo de verdade, sem dúvidas.
Do mesmo jeito que me preocupo com ele, sei que se preocupa comigo.
Podemos confiar e contar um com o outro. Sempre.

Graças a ele que hoje acordei mal e agora estou melhor.

Obrigada meu Deus, por ter um amigo tão presente.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Altos e Baixos

Sinceramente, queria muito saber escrever bonito.
Escrever bonito para falar de coisas feias.
Alguns dias acordo tão bem, sinto-me tão feliz...

Em outros porém...que vontade de sumir do mapa!
Hoje sinto-me num destes dias.
Será que sou bipolar?
Ou será que, como disse um amigo, Rodrigo, são apenas sentimentos que precisam ser explícitos e se alternam?

O bem e o mal.
A tristeza e a alegria.
A vida e a morte.
O amor e o ódio.
A fé e a desesperança.
A agonia e a paz.

Olho-me no espelho, ainda sou a mesma pessoa de sempre. Não tenho rugas, nem marcas de expressão.
O rosto está um pouco cansado.
Meu olhar perdeu o brilho, posso ver claramente.
Bem, sobre meu corpo, prefiro não comentar.
Este sim envelheceu. Esta casca velha e cheia de marcas. Cicatrizes.
Não ligo para isso. Não ando nua por aí mesmo.

A vida marcada pela morte não é nada legal.
Minha vida é. Não tem como eu fugir disso.
Meus pais se mudaram, foram viver no céu, são dois anjos de pureza e bondade.

Tenho saudades sim.
Queria poder abraçar um pouco mais, estar mais perto, conviver mais...
Lamentações... só isso.

Sempre quando vejo um idoso lembro-me deles.
Aliás, lembro mais, porque não há um dia que passe sem pensar em ambos.

Quando minha mãe ligava e dizia que só queria saber como estávamos.
Quando ia dar boa noite pro meu pai e acariciava seus cabelos brancos...


(droga, não é legal chorar na loja)

Puxa.
Nestas horas eu penso "será que a vida vale à pena"?
A gente vive pra um dia perder nossos pais, isso é natural, mas depois?
Fica a saudade, o vazio, a tristeza?

Que graça então tem isso? Qual o propósito disso tudo?

Minha família hoje se resume em minha filha, que nunca irá me abandonar e no Hélio, que um dia pode se cansar. Torço para que nunca aconteça.

Sim, tenho minhas tias, que estão bem velhinhas e longe de mim. Nunca falo com elas.
E tenho meus primos.
Os que contam mesmo são cinco: Maurício, Marcos, Eden, Danielle e Jayson.
Da familia do meu pai sobrou o tio Mário. Que nunca vejo. Só.

Sinto-me só. Chata e sem graça. Feia.
Faltam meus pais.
Fui muito amada, muito mimada, muito querida.
Fui...

Saudades de me arrumar e ouvir deles que sou a pessoa mais linda do mundo.
Minha mãe faria com certeza apenas uma ressalva: "tem que cuidar pra não engordar mais"... sempre preocupada com isso.
Porque ela engordou muito quando perdeu a mãe e o filho. Não queria isso pra mim.

Sinceramente, não sei se tenho AMIGOS.
O que é uma amigo?
Alguém que está sempre contigo?
Ou aquele que aparece apenas quando você marca algum churrasco?

Estou sendo radical. Claro que tenho amigos queridos.
Do mesmo jeito que sou ausente em suas vidas, eles também são na minha.
A gente fica maduro e deixa de andar em bandos.
O que é uma pena.
Era legal se conseguíssemos cultivar os amigos tão presentes em nossa adolescência.

Porém, mesmo com pouco contato, sei bem com quem posso contar quando realmente preciso. E também estou perto quando o bicho pega para eles.
Posso dizer que tenho mais de cinco amigos de verdade.

Estou cansada de determinados comportamentos.
Cansei de ser aquela que sempre convida, que sempre procura. Agora deixo de lado. Não vou atrás de ninguém. Nem faço questão.
Tem muita gente que só nos procura quando precisa.
Eu não preciso de ninguém.
Quer dizer... melhor não explicar...

Só me recuso a pensar que amiguinhos de Orkut são os mesmos da vida real.

Quer saber?

Cansei.
Vou ver se cato o José (meu filho postiço) e através dele volto a ficar mais alegre e ter esperanças.

Como diria Cazuza:

"EU ANDO TÃO DOWN"

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Quem tem boca fala o que quer pra ter nome...




O que é, o que é??

Clara e salgada, cabe em um olho e pesa uma tonelada...tem sabor de mar,
pode ser discreta, inquilina da dor, morada predileta....na calada ela vem, refém da vingança, irmã do desespero, rival da esperança... pode ser causada por vermes e mundanas...e o espinho da flor, cruel que você ama...

Amante do drama, vem pra minha cama, por querer, sem me perguntar,
me fez sofrer...e eu que me julguei forte...e eu que me senti...serei um fraco, qdo outras delas vir..se o barato é louco e o processo é lento...no momento...deixa eu caminhar contra o vento...o que adianta eu ser durão e o coração ser vulnerável...

o vento não, ele é suave, mas
é frio e implacável....(é quente) borrou a letra triste do poeta (só) .....

correu no rosto pardo do profeta...verme sai da reta...a lágrima de um homem vai cair...esse é o seu B.O. pa eternidade...diz que homem não chora...ta bom, falou...não vai pra grupo irmão ai .... JESUS CHOROU ! ! !

Porra vagabundo óh, vou te falar, tô chapando...eita mundo bom de acabar....o que fazer qdo a fortaleza tremeu...e quase tudo ao seu redor, melhor, se corrompeu...(epa pera lá, muita calma ladrão, cadê o espírito imortal do Capão?? lave o rosto nas águas sagradas da pia, nada como um dia após o outro dia...sou eu seu lado direito, tá balado pq veio, negô, é desse jeito)...Durmo mal, sonho quase a noite inteira, acordo tenso, tonto e com olheira, na mente sensação de mágoa e

rancor...uma fita me abalou na noite anterior...Alô!! (Ae dorme em doidão, mil fita acontecendo e cê ai)...que horas são?? (meio dia e vinte ó..a fita é o seguinte ó....não é isqueirando não ó, fita de mil grau, ontem eu tava ali de CB, no peão, com um truta firmezão, cê tem que conhecer, se voce liga ele vai saber de repente, ele fazia até um Rap no passado recente...vai vendo a fita, se naum acredita, quando tem que se é Jão, presta atenção, vai vendo...parei pra fumar um de remédio,

com uns muleque lá e pá, grafitando os prédios...o que chegou depois, pediu pra dar uns 2...irmão, um patrício ó, novão e os caráio...fumaça vai, fumaça vem hein chapou o côco, se abriu que nem uma flor, ficou louco...tava eu mais dois truta e uma mina num tempra prata show filmado ouvindo Guina...o bico se atacou ó, falou uma pá do cê)...tipo o que??

(Esse Brown aí é cheio de querer ser, deixa ele moscar e cantar na quebrada, vamo ver se é isso tudo qdo ver as quadrada, periferia nada, só pensa nele mesmo, montado no dinheiro e vcs aí no veneno...e a cara dele truta?? cada um no seu corre, durmo pelas veia, uns mata, outros morrem...eu mesmo se eu catar voa numa hora dessa, vou me destacar do outro lado depressa, vou comprar uma house de boy depois alugo, vão me chamar de senhor...não por vulgo... mas pra ele só a zona sul que é a pa... diz que ele tira nós, nossa cara é cobrar...o que ele quiser nós quer, vem que tem, pq eu naum pago pau pra ninguém...E eu?? só registrei né, não era de lá, os manos tudo só ouviu, ninguém falou um A)...Quem tem boca fala o que quer pra ter nome, pra ganhar atenção das muié e/ou dos homens...amo minha raça, luto pela cor, o que quer que eu faça é por nós, por amor,

naum entende o que eu sou, não entende o que eu faço, não entende a dor e as lágrimas do palhaço...mundo em decomposição por um triz, transforma um irmão meu em um verme infeliz...e a minha mãe diz: Paulo acorda, pensa no futuro que isso é ilusão, os proprio preto não tá nem ai com isso não, ó o tanto que eu sofri, que eu sou, o que eu fui, a inveja mata um, tem muita gente ruim...Pô mãe não fala assim que eu nem durmo, meu amor pela

senhora já não cabe em Saturno, dinheiro é bom, quero sim se essa é a pergunta, mas dona Ana fez de mim um homem e não uma puta...ei vc, seja lá quem for, pra semente eu não vim, então, sem terror ...inimigo invisivel, Judas incolor, perseguido eu já nasci, demorou...apenas por 30 moedas o irmão corrompeu, atire a primeira pedra quem tem rastro meu...cadê meu sorriso?? onde tá?? quem roubou??

é...humanidade é má, e até Jesus Chorou...Lágrimas...Lágrimas...Jesus Chorou....vermelho e azul, hotel, pisca só luz, nos escuros do céu...Chuva cai lá fora e aumenta o ritmo, sozinho eu sou agora o meu inimigo intimo...lembranças más vem, pensamentos bons vai...me ajude, sozinho penso merda pra caráio...gente que acredito, gosto e admiro, brigava por justiça e em paz levou tiro: Malcon X, Ghandi, Lennon, Marvin Gaye, Che Guevara, Tupac, Bob Marley e o evangélico Martin

Luther King...lembrei de um truta falar assim: naum joga pérola aos porco irmão, jogue lavagem eles prefere assim, se tem de usar piolhagem?? Cristo que morreu por milhões, mas só andou com apenas 12 e um fraquejou...periferia...corpos vazios e sem ética lotam os pagodes rumo a cadeira elétrica...eu sei vc sabe o que é frustação...máquina de fazer vilão...eu penso mil fita, vou enlouquecer...e o piolho diz assim qdo me vê: (famoso pra karáio, durão, ih truta...faz seu mundo não Jão,

hã, a vida é curta...só modelo por ai dando boi, põe elas pra chupar e manda andar depois...rasgar as madrugadas só de mil e cem..se sou eu truta hã, tem pra ninguém...Zé Povinho é o Cão, tem esses defeitos, o que, cê tendo ou naum cresce os zóio de qualquer jeito...cruzar se arrebentar, de repentemente vai, de ponto quarenta, se querer tá no pente)...

se só de pensar em matar já matou, prefiro ouvir o pastor: Filho meu, não inveje o homem violento e nem siga nenhum dos seus caminhos...

Lágrimas...molha a medalha de um vencedor...chora agora ri depois, ae, Jesus Chorou...Lágrimas...

A falta é a morte da esperança...



Não me canso de ouvir esta música!

Banho de REALIDADE


Acabo de chegar de Curitiba. Uma vez por mês vou ao Hospital Erasto Gaertner buscar Tamoxifeno, remédio que devo tomar por mais 3 anos a fim de evitar a reincidência do câncer.
Sempre quando vou a este local sinto muita tristeza.
Lembro-me que ainda faço parte deste mundo, embora meu tratamento esteja num estágio bem mais avançado.
Os rostos, os semblantes são sempre sofridos. Alguns expressam o MEDO puro.
Muitos estão sozinhos, outros acompanhados.
Um fato é que a doença une famílias. Acho bonito o carinho com que acompanhantes tratam seus doentes.
Vejo muito sofrimento lá, mas amor em abundância também.
A vida muda quando estamos tão perto da morte.
Muda para o doente, muda para a família.
É triste aquele hospital.
Vejo desde criancinhas pequenas até idosos.
Pessoas amputadas, deformadas, mutiladas.
Em muitos casos não há esperanças, sinto que estes esperam apenas que a morfina diminua a dor. E que Deus seja misericordioso.
O câncer traz um sofrimento absurdo para alguns.
Eu tive sorte, não sofri assim.
Tive medo. Ainda sinto.
Acho que enfrentar a doença de novo seria um castigo, ainda mais porque agora não teria o amor e a proteção dos meus pais.
Não quero pensar nisso. Estou um pouco preocupada apenas porque não recebi o resultado dos últimos exames, que fiz em novembro.
Quando estou naquele ambiente sinto-me muito egoísta em estar preocupada com problemas materiais, sem agradecer o que de mais importante tenho nesta vida: a saúde.
Tendo saúde temos condição para enfrentarmos qualquer problema.
Vencemos todos os obstáculos, derrubamos todas as barreiras.
Basta lutarmos de peito aberto e com coragem.
A doença não escolhe idade, cor de pele ou classe social. É mais ou menos como uma loteria, tem gente que se cuida a vida toda e mesmo assim ela se desenvolve.
Outros que abusam dos maus hábitos, que não cuidam da sua saúde e nunca tem esta maldita.
Ninguém sabe como ela começa.
Uns morrem... outros se salvam...
Estou no segundo grupo. Espero continuar nele.
E por favor, não se lamente apenas por coisas que não possui.
Olhe-se no espelho e imagine que no mesmo momento em que sofre, seja por problemas financeiros ou emocionais, há centenas, milhares de doentes em leitos de hospitais.
Muitos já desenganados.
Sei que a depressão é uma doença complicada, e em muitos casos não basta apenas termos boa-vontade para sairmos dela.
Só que persista, procure meios de se sentir mais feliz.
Se não tem condições de procurar um especialista, procure um líder espiritual.
Não desista da vida, ela é nosso maior tesouro, o bem mais precioso pelo qual devemos zelar.
Viver é tudo de bom!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Carnaval... acabou!

Não é que eu odeio o carnaval...apenas não gosto de excessos.
Talvez seja por isso que não curta o reveillon...muitos fogos, muitos bêbados, muita gente.

Eu gostava quando era mais nova, minha mãe me fantasiava e íamos aos bailes infantis. Confesso que gostava mais de juntar confetes e serpentinas... aliás, gostava de jogá-los nos outros.
Gostava das marchinhas...com o tempo ela foi cedendo espaço pra esta droga de músicas axé, funk e pagodes.

E a violência se espalhou.

Eu gosto dos dias de folga.
Acho bonito o desfile no Rio, mas é meio incoerente num país aonde pessoas padecem de fome e falta de assistência em hospitais.
Não me imagino jamais em Salvador pulando atrás de um trio-elétrico. Nunnnnnnca!

Não consigo extravasar tanta alegria, até porque não a tenho em excesso assim.

Enfim... que bom que acabou. E viva 2009!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Carnaval... e um belo exemplo...





Na última sexta-feira, acordei com a surpresa de uma notícia, que por sinal, poucos não sabiam. O mais famosos puxador de samba-enredo, o Neguinho da Beija-Flor, está passando por um tratamento contra um câncer de intestino.
A Globo fez uma bela homenagem (http://www.youtube.com/watch?v=R_WR9MDXrsQ) a este que sempre nos contagiou não só com sua bela voz, mas com seu imenso sorriso... tão fácil e tão largo...
Quem diria que naquela manhã eu e o Brasil inteiro veríamos este homem chorar como uma criança... sua postura sempre confiante foi se reduzindo, foi se encolhendo.
Lembrou meu amado paizinho... este jeitinho de se encolher...

O negão desabou diante da homenagem de tantos amigos.
E o ápice foi quando as cortinas que estavam as suas costas se abriram e de lá vieram muitos amigos, a esposa, sua comunidade e a bateria... foi lindo demais... Neguinho chorava encostado a barriga de sua esposa, segurando sua filhinha de apenas 5 meses nos braços.

Sinto-me próxima dele, pois sem bem como é esta doença, sei como é ter esta dúvida em relação ao nosso futuro.
Sei que um dos piores locais pra se ter um tumor é no intestino, mas tenho fé em Deus, sei que nada é impossível pra Ele.

A postura do Neguinho frente à doença me deixou bastante satisfeita. Diferente de muitos, e assim como eu, também não tem medo de assumir e enfrentar. Fala claramente o nome da maldita, diz dos seus medos. Nada como enfrentar o inimigo de peito aberto. Como faz o nosso surpreendente vice-presidente, José de Alencar, que apesar da idade e da insistência da doença, também luta bravamente e não desiste.

Quanta gente se entrega? Muitos não acreditam na cura sucumbindo ao medo.
Não vale à pena, não sabemos o que o futuro nos reserva.

Gosto de pessoas como eles que não se escondem. Aceitar a enfermidade é o primeiro passo para curar-se.
Esta doença não escolhe sexo, nem raça, nem cor, nem idade. Pode acontecer com todos...
E eles sendo pessoas públicas dando este exemplo para tantos que sofrem como eles... passam uma energia positiva, uma mensagem de esperança e fé.

Ontem, fiquei acordada até às 5 para ver esta figura maravilhosa entrar na passarela puxando o samba-enredo da Beija-Flor e valeu muito à pena.
Mesmo tendo passado por quimioterapia recentemente, conseguiu levar o samba até o final, com sua majestosa voz... só não foi andando, não consegiria cantar e andar a avenida toda...

Esta força do Neguinho não é em vão. Nem do nosso querido José de Alencar. São estes homens que nos fazem crer que a vida vale à pena de ser vivida, que temos que ter coragem pra lutar e que não devemos parar de acreditar quando as coisas não são exatamente como imaginávamos.

Que Deus permita que assim como eles, pessoas que padecem por causa desta doença consigam se superar...

Assim como eu... e como eles!

FORÇA!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

A Vida...

Porque será que nós seres humanos reclamamos tanto e esquecemos das coisas boas que temos?
Como diz o Magnific Jah:

"A vida é pra se viver irmão, porque aguns estão nesta prisão?"

Eu me sinto feliz, à vezes me dá um certo remorso porque não acho justo sentir-se assim enquanto o mundo padece. Só que esta é a vida.
Temos que procurar viver um dia de cada vez absorvendo ao máximo cada minuto nesta nossa passagem.

Procuro viver feliz. Ultimamente tenho me sentido bem melhor, a depressão foi passar o carnaval em algum local desconhecido... e tomara que se perca!

Caminhando com minha cadela, com mp3 no ouvindo, costumo cantar e deixo um sorriso tomar conta do meu rosto, afinal, não existe benção maior do que ter saúde e se posso me exercitar já sou uma privilegiada.

Talvez o segredo da vida esteja justamente aí, em saber enxergar o que temos.

Poder passar parte do meu tempo ao lado da minha filha é um motivo para lembrar-se o quanto a vida é boa, o quanto Deus me ama.
Passamos juntas algumas horas na piscina, tomando sol, pois nós duas amamos ficar lagarteando.

Não sabemos o dia de amanhã o que nos reserva, então, se tem um problema a enfrentar, não faça dramas, nem sinta medo do que possa acontecer.
Acredite, tenha fé e faça sua parte.

O mal está a espreita, mas acredito que o bem sempre vencerá.

Viva a vida... e deixe viver!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

A morte...






Um dia entrei no quarto do meu pai e ele me disse que estava refletindo sobre a morte. Havia chego a conclusão de que a vida não deveria acabar depois que partimos, que deveria haver sim uma continuação como acreditavam os espíritas. Conversamos um pouco sobre isso, pois eu tenho esta visão espírita da vida e fiz algumas considerações a este respeito.
Obviamente ele pensava em minha mãe... com quem foi se econtrar alguns meses após esta nossa conversa.

A morte sempre foi um assunto que despertou minha curiosidade.
Tenho a maldita curiosidade mórbida, por isso estou numa comunidade no orkut intitulada PGM (Profiles de Gente Morta).
Não é uma obssessão, às vezes fico dias sem entrar lá.
Eu reflito em cima dos casos, alguns se acidentam, outros perdem a batalha contra câncer, outros simplesmente se matam. Muitos parecem até prever o fim. Mesmo aqueles que falecem acidentalmente.

A morte... desde sexta-feira estou com um nó na garganta e um sentimento de incredulidade. Aliás, não só eu, mas a cidade ainda está em choque.
Este rapaz da foto, Fabiano Bornancin, estupidamente perdeu a vida quando uma motorista desatenta cruzou sua frente numa preferencial.
Foi o fim de tantos sonhos, de tantos planos.
Tinha 27 anos, uma nenê de 2 meses... mudaria no sábado para um novo apartamento. Os amigos iriam inaugurá-lo assistindo ao jogo do Flamengo.

Não conhecia o Fabiano, mas eu o via sempre, pois morava aqui perto e meu vizinho era seu amigo. O Hélio também era... sempre que ele passava e o via berrava "Héééélio"... sempre...

Talvez porque vivo a dor de ter perdido meus pais, consigo mensurar o tamanho da dor da sua família.
Conversava muito com seu pai quando eu trabalhava no gabinete do vice-prefeito. Homem bom, íntegro, trabalhador. Junto com sua esposa tiveram 4 filhos. Desconfio, mas não tenho certeza, que o Fabiano fosse o mais novo.

Fabiano teve câncer na mesma época que eu. Também conseguiu derrotar esta maldita doença. Algumas vezes pensava que um dia poderíamos trocar "figurinhas" sobre nosso tratamento. Nunca tivemos a oportunidade.

Fico pensando como a vida pode ser estúpida. Cruel.
Queria muito ter o poder de devolver a vida a ele. Um rapaz jovem, trabalhador, bonito, que segundo todos era uma ótima pessoa, bem humorado, brincalhão, querido, simpático.

Foi embora... numa sexta-feira 13... acelerou pela última vez sua HARLEY-DAVIDSON, foi traído pelo erro de outro motorista.
Mesmo caído no chão e com a perna muito machucada, pediu para uma amiga avisar seu irmão André, mas que este tivesse o cuidado de não assustar seus pais...pobrezinho... bom filho...

Levado com vida ao hospital,não resistiu, a pancada foi muito forte.
Infelizmente, amava velocidade, não estava devagar... não mesmo...

Criado no meio de motos, pois seu pai tem uma conhecida loja, como muitos, pensava que estava imune a fatalidades. Aliás, acho que não pensava muito nisso, curtia sua vida, vivia intensamente cada momento.
Acredito sinceramente, que o nascimento da sua filhinha fez com que acendesse uma luz dentro dele. Talvez por isso estivesse vendendo a moto.
Uma pena que não conseguiu se livrar dela a tempo de evitar o acidente.

Como deve estar sua esposa? Seus pais e irmãos? Seus amigos? Como, meu Deus, superar esta tristeza?
Só acreditando que a morte não é o fim de tudo.
Fabiano, como meus pais, não morreu.
Vivem dentro dos corações das pessoas que ficaram aqui, pois é através deste amor que a esperança de um reencontro se fortalece.

Fabiano vive sim... viverá em outra dimensão... em outro plano, longe dos nossos olhos.

A morte não é o fim, não é... não pode ser.
É apenas um estado do corpo.
A alma vive, os pensamentos, as idéias, os conceitos, o exemplo da vida de quem se foi não se apaga... nem se acaba.
Nós é que somos muito apegados à matéria.

Não podemos acreditar apenas no que vemos, no que tocamos, mas no que sentimos.
O amor que alimentamos mantém vivos aqueles entes queridos que se foram.
Através de orações podemos ajudá-los a encontrar a paz...

Dói... em certos momentos bate um enorme desespero... sei como é... sinto.
Porque é cruel demais imaginar que viveremos sem nunca mais os vê-los, sem nunca mais ouvi-los, sem nunca mais tocá-los.
Então bate aquela indignação...

Por quê Deus? Por quê?????
Difícil não chorar, difícil não se revoltar.
Tenhamos fé. Rezemos. Peçamos à Deus que não nos desampare e que console nossos corações.

Nestes momentos penso nos pais dele... então me pergunto, como uma mãe que levou um filho 9 meses no útero consegue sobreviver a isto?
Só sendo tendo muita fé em Deus Pai e acreditar que Ele não dá pra ninguém um fardo maior do que cada um pode suportar.
A família Bornancin é grande, unida, tem várias crianças... a ausência dele será sentida para sempre a cada reunião, a cada momento.
Tenho fé no amor dos filhos que ficaram, dos netos... eles vão reerguer estes pais. Vão sim...

Graças à Deus que ficou esta bonequinha linda, que por sinal é a cara dele.
Esta sementinha vai crescer tão amada, pois tem como missão dar alegria e esperanças à esta família...e à sua mamãe... uma jovem viúva.

A vida é muito estúpida, mas não vamos perder a fé. Porque se perdermos a fé não nos sobra nada.




O Fabiano vive... tenho certeza que sim.

Assim como meus pais.

E um dia, Deus nos dará a oportunidade de estarmos todos juntos.

Que Deus console o coração da família Bornancin, pois eu, do meu humilde cantinho faço a única coisa que me resta fazer por eles: pedir para que o anjo da guarda de cada um interceda em suas vidas e cicatrize esta ferida.

Ele está bem melhor que nós... com certeza!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

1 ano e 8 meses sem minha mãe...

Há 5 dias atrás fez 5 meses que estou sem meu pai também.

Será que há dor tão doída? Sim há... a dor de perder um filho.
Fico vendo as fotos de ambos, lembrando de momentos especiais... olhando objetos pessoais que guardei como lembrança...

A vida perde a graça sem nossos pais, já falei isso.

Estou triste e chorosa...

Deveríamos viver infinitamente... ou pelo menos irmos todos juntos...

Saudade de quem se foi é algo que destrói a gente... vai comendo como um câncer...

Estou muito deprimida para escrever mais alguma coisa...

Te amo minha mãe, te amo meu pai. Ainda não acredito que se foram. Pelo menos estão juntos no paraíso... meus dois anjos de luz e bondade...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Eu & Minha Alegria

Hoje caminhando no calor de Paranaguá, quase me esvaindo em suor, refleti sobre como é fácil a gente se queixar da vida, esquecendo o que de bom temos.
Isto é do ser humano, enxergar facilmente as coisas que lhe faltam e sofrer por elas, deixando de lado o resto. Aquele que deveríamos lembrar de agradecer diariamente.
Enquanto eu me sentia desconfortável andando no sol, lembrei das horas que passei presa a um leito de hospital, em razão da minha masectomia.

(Calma... foi só 1/4 gente...)

E quantos estariam em leitos enquanto eu caminhava?
Quantas pessoas não podem andar mais? Como a Monik do caso de Caiobá.

Será que temos o direito de ficar reclamando da vida quando temos TUDO?

Claro que não.
Por isso que eu me sinto meio bipolar. Ao mesmo tempo que bate aquela enorme tristeza que me faz chorar de um momento para o outro, sinto uma emoção enorme apenas pelo fato de pensar que estou viva, tenho saúde, uma filha linda e um marido amoroso... e estamos todos saudáveis, graças à Deus!
Tenho minha família.

Tenho saúde para trabalhar e inteligência para raciocinar.

Tenho uma casa, um teto só meu.

Sei que tenho que lutar contra este monstro que é a depressão... sem remédios, sem psicólogos nem nada. Isto está aqui dentro e cabe à mim resolver esta parada, pois sei bem como é... falta a serotonina e o lado emocional somado aos meus problemas e tristezas são razões suficientes para ter recaídas.

Não posso me entregar. Por isso todos os dias procuro caminhar na avenida, refletindo sobre a natureza, as coisas boas que tenho aqui... assim vou afastando os fantasmas da mente.

Porque na verdade, a vida é aqui... e agora.

Não posso viver do passado.
Foi maravilhoso, faz parte da minha história e moldou o ser humano que sou hoje, mas ainda não acabou.
Tenho muito o que aprender, muito para fazer.
Nunca deixarei de sentir a falta dos meus pais.
Simplesmente porque eram inigualáveis e são insubstituíveis.
Resta seguir o exemplo de vida deles, lembrar do quanto eram simples e felizes mesmo sem uma vida de luxo. O que aliás, nunca foi minha pretensão.

Bem, simplicidade é algo que aprendi com eles desde pequena. Nunca senti vergonha de limpar a frente da minha casa. De ir ao supermercado com uma roupa mais batida ou com o cabelo avacalhado.

Eu cresci me preocupando muito com o que os outros falavam de mim.
Ia para o colégio com duas calças porque era tão seca que os meus colegas debochavam.
Amadureci, minha personalidade se fortaleceu, percebi que não fazia parte deste mundinho comum de futilidade e de "modinha".

Uso o que quero, mesmo que muitos achem ridículo, patético.
Faço o que quero também, não devo nada à ninguém.

Estar me sentindo bem e feliz é o que basta.

Quando raspei a cabeça, a zero, ao contrário do que muitos pensaram e devem pensar até hoje, não foi o fim do mundo.
Muito pelo contrário. Fui única durante aquele período.
Eu fiquei LINDA... desculpa, mas é verdade. Meus pais diziam sempre que eu era um bebê com cabeça perfeita, pois a Jéssica também era.

Eu parecia uma hare-krishina... com minhas saias, batas e vestidos indianos.

Um fato que me marcou neste período, foi na festa de lançamento do primeiro cd da banda do Hélio.
Eu, careca, pela primeira vez na balada, com um conjunto indiano maravilhoso azul, com bordado dourado, que ganhei da minha amiga Dani... dançando música eletrônica com o edson duarte... uma pessoa incrível, uma verdadeiro artista...

Não ligo pro que falem de mim.

Por isso sou daquelas que vai pra piscina de biquini, mesmo barriguda e flácida. O importante é o bronzeado... me sentir bonita e com aquelas marquinhas que o meu amor gosta...
Tem tanta gente preocupada em colocar silicone, fazer plástica, falar sobre os últimos lançamentos da Cântarus, que se esquecem de cuidar da alma... da cabeça... e ficam sozinhas...
O corpo é só uma casca.

O importante é a semente de dentro... por isso tenho que vigiar meus pensamentos para que sempre estejam positivos...

E levar a vida do jeito que ela vem...

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Eu & Minha Depressão

Não estou conseguindo fugir dela... vem vindo lentamente, atrapalhando minhas noites de sono, minando meus pensamentos positivos, acabando com minha confiança e destruindo a esperança...
Tá bem complicado administrar tantos problemas, tantas dores... tantas ausências.

Sou só, sinto-me assim. Não adianta me dizerem ao contrário. Quem é que vai passar a mão na minha cabeça e dizer que tudo vai passar?

Ninguém... a minha tristeza irrita e incomoda... não sou compreendida, até porque se nem eu mesma me compreendo... quem dirá os outros.

Tenho fé, tenho esperança ainda e por isso não vou me entregar.
Porque cheguei a pensar em dar um basta a tudo isso. Afinal de contas, será que a vida me reserva algo de bom ainda?
Acho que sim... não da mesma forma que era há exatamente 1 ano e 8 meses atrás... eu era feliz, mas não sabia.

A depressão é uma porta difícil de se fechar, mas com jeitinho podemos conseguir.
Não é da minha vontade senti-la. Só que tem momentos que olho pros lados e fico tão insatisfeita... não com os outros, mas comigo.

Tinha uma época em que me achava bonita, inteligente e bem amada.

Cheguei num ponto complicado, sinto-me feia, sem graça, velha... meu corpo dói, meu cabelo está horroroso. Sabe, há muito tempo não ouço um elogio... saudades da minha mãe, toda vez que ela me via sempre dizia "você está linda, só tem que cuidar pra não engordar"... achava graça disso, porque era sempre assim, comigo e com a minha filha.
Meu pai também elogiava, às vezes sem dizer nada, mas seus olhos orgulhosos brilhavam de maneira especial...

Que vazio...

Fui muito mimadinha... típica filhinha-do-papai, graças à Deus... amor tive de sobra, compreensão e carinho também...

Só que agora... sinto muita tristeza...

Não vou fazer nada, mas bem que eu queria estar com eles...

Desculpem... estou muito down...

Memórias - Pitty

Memórias
Pitty
Composição: Pitty

Eu fui matando os meus heróis aos poucos
Como se já não tivesse
Nenhuma lição pra aprender

Eu sou uma contradição e foge da minha mão
Fazer com que tudo que eu digo faça algum sentido
Eu quis me perder por aí fingindo muito bem
Que eu nunca precisei de um lugar só meu

Memórias, não são só memórias
São fantasmas que me sopram aos ouvidos
Coisas que eu...

Eu dou sempre o melhor de mim
E sei que só assim é que talvez
Se mova alguma coisa ao meu redor
Eu vou despedaçar você
Todas as vezes que eu lembrar
Por onde você já andou sem mim

Memórias, não são só memórias
São fantasmas que me sopram aos ouvidos
Coisas que eu...
Memórias, não são só memórias
São fantasmas que me sopram aos ouvidos
Coisas que eu nem quero saber!

Eu sou uma contradição e foge da minha mão
Fazer com que tudo que eu digo faça algum sentido
Eu quis me perder por aí fingindo muito bem
Que eu nunca precisei de um lugar só meu

Memórias, não são só memórias
São fantasmas que me sopram aos ouvidos
Coisas que eu...
Memórias, não são só memórias
São fantasmas que me sopram aos ouvidos
Coisas que eu nem quero saber!
Nem quero saber!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Tem períodos ruins mesmo...

Fui fazer perícia médica no INSS. Dos 4 médicos, já havia sido avisada que dois são legais e dois bem sacanas.
Justamente fui cair com um dos sacanas.
Ele foi frio, quase grosso e não me deu chance pra nada.

Como se a dor que eu sentisse fosse pouca.
Ele não entende nada de oncologia e generaliza todos que passaram pelo mesmo problema.

Sabe, acho que sente prazer em barrar as pessoas.

Maldito. Maldito seja.

Hoje estou sentindo um ódio imenso no peito...e sei que não me faz bem...

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Destino cruel...



Sabe, ainda estou muito chocada com o caso de Caiobá. Não me sai da cabeça tamanha maldade.
Eu penso no sofrimento dela, já que ele, pobrezinho, nem teve tempo...
Dói mais ainda saber detalhes da vida de ambos.
Namoravam há 4 anos, eram engajados nas causas sociais. Ele era membro do Rotaract. Estudava Direito, ela Educação Física e ainda fazia capoeira. Tem uma irmã mais nova se tratando de câncer.

E o crime em si foi muito brutal, além do que qualquer um pode imaginar.
Como podem fazer isso com um irmão? Dois jovens, bonitos e bons... que tiveram suas vidas destruídas, devastadas...assim, de uma hora para outra. Quis o destino que tivessem subido o morro no mesmo momento que um infeliz.
Uma besta, uma fera.
Um demônio...
Sempre me recusei em acreditar nos demônios, pois para mim nada é maior que Deus.
Infelizmente tenho que rever estas idéias. Os demônios estão entre nós... são vários.

Como devem estar os pais do Osires? Perderam uma jóia rara de maneira inimaginável!
Que dor deve ser esta de perder um filho assim?
Por favor senhor, nunca me deixe passar por tamanha dor, pois não sairia inteira dela.
E ela, a menina Monic? Ficou lá, baleada, sozinha, vendo seu amado morto sem nada poder fazer. Deveria estar imaginando que a bala pegou na coluna, ela entende do corpo e sua anatomia.
E no meio da escuridão, como se não pudesse ficar pior do que já estava, eis que o monstro, o algoz retorna e a estupra.
Sem dó, nem piedade.

O que passou em sua cabeça neste momento? Será que ela conseguiu pensar algo?

O que me preocupa hoje é o seu futuro. Como sobreviver a tamanha dor e a tantos traumas.
Como não ter medo de outro ser humano? Como?

E justo com eles... que se doavam no trabalho voluntário...que eram anjos bons ajudando os sofredores da Terra.

Ah Deus... manda a sua ira para Terra e extermina esta raça de gente maldita daqui.
Afasta estas feras de nossos filhos, amigos e de nós mesmos...
Dai força à família do Osires, e ajuda a Monic a sair desta e superar este horror...

Estou muito triste! Chocada... e hoje aconteceu algo parecido em Foz do Iguaçu... nossa polícia está perdendo feio para os maníacos... feio...

Eu sou uma contradição... que foge pelas mãos!



Quem sou eu?
Para onde eu vou?

Da onde eu vim já sei...

Eu sou uma pessoa muito complicada, é difícil para mim mesma entender-me e aceitar-me.
Sei que sou extremamente exigente e irritada.
Se quiser ver pegar fogo é só acender o fósforo.
Não gosto de injustiças, nem coisinhas mal explicadas. Para mim as coisas devem ser às claras. Não tem esta de meio termo.

Não gosto de hipocrisia, isso não é novidade.
Tem momentos que consigo me controlar e mudo o ritmo dos meus pensamentos. Só que em outros não.
Agora então... às vezes estou no meio de pessoas e vem os pensamentos ruins... como lembrar do pai e da mãe mortos. Reviver a angústia da dor da perda, desde o momento em que fui comunicada até o último tijolo do túmulo.

Do nada gente... do nada...

Só que acredito que morte de pai e mãe sejam assim mesmo... demora muito tempo para passar... e SE passar.

Do mesmo jeito que em muitos momentos admiro minha força e minha fé, em outros sinto remorsos por não ser exatamente como os outros querem que eu seja.
Como minha filha gostaria...
Ou como meu marido preferiria...
Não sei... não sei... não sei...

Já pensei que eu poderia ser bipolar. Afinal, passar da tristeza à alegria é comigo mesmo. Só que não é por aí. O que eu faço é procurar reagir às surpresas da vida.

Tem momentos que penso em mim e acho que não sou bosta nenhuma.
Sinto vontade de mudar minha vida, mudar de planeta...
No outro instante já procuro afastar estas idéias e pensar positivo...

...sim... tudo vai melhorar!

Daí já me pergunto: será?

Uma loucura... meus dois "eus" vivem discutindo... um é down... outro é UP...

Vivo nesta gangorra há anos... e dela não sairei tão cedo.

Acho que sou louca mesmo...

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Pena de Morte já!

Cansei.
As coisas estão chegando ao limite.
A violência está chegando na porta da minha casa.
Será que ninguém vê?
Temos que fazer algo.
O mal está vencendo, o bem está trancado atrás de grades para se proteger.

Este final de semana, dois jovens resolveram entrar pelas trilhas do Morro do Boi em Caiobá. Uma coisa comum, eu mesma quando era adolescente costumava entrar ali... era nossa aventura... e de mais um monte de gente, diga-se de passagem.

Imagino que os dois estivessem querendo um pouco de privacidade, ambos jovens, estavam hospedados na casa dos pais dele... coisa natural... entre casais.
Quis o destino trágico que eles cruzassem com uma maldito bandido.

Que os rendeu e dominou com uma arma.
Não tendo o que levar das vítimas resolveu estuprar a moça. Já que estavam ali mesmo... ou talvez ele tenha os surpreendido enquanto se amavam?

A questão é que ele assassinou o rapaz e atirou nas costas da garota, que não morreu. Não contente, voltou e a estuprou, alguma horas depois.
Imagine, você indefesa, ferida, seu namorado morto na sua frente... e você está imóvel. De repente seu agressor retorna no meio da escuridão e te estupra.

Algum ser humano merece passar por uma experiência destas?
Que respeito pela vida tem uma "fera" nojenta como esta? Que tipo de homem estupra uma mulher? Agora acrescente a esta pergunta as condições desta vítima.
Eu estou tão revoltada.
Se pudesse encontrar este cara acho que teria coragem de atirar em sua cara. Juro.

Odeio violência, sou uma pessoa normal, mas num caso destes não há perdão.

Confesso que sou uma pessoa chata. Bem chata por sinal. Não gosto de ficar me abrindo, mostrando meus lindos dentes por qualquer motivo.
Tenho uma lista de desafetos. Gente que não vou com a cara e nem faço questão de mudar de opinião.
Nunca esperem que eu chegue num lugar e cumprimente um por um meus amigos e conhecidos, como aqueles que chegam e vão beijando um por um... eu não... prefiro fingir que não vi...

Acho isso meio anormal, mas é meu jeito e é mais forte que eu. Porque também sou hiper tímida. As pessoas pensam que não sou pois tenho estilo e atitude, mas não é bem assim.

Mesmo antipatizando com tanta gente, jamais faria mal a qualquer um deles (as). Também nunca desejaria o mal.

Não entendo como as pessoas podem fazer tanto mal e machucar as outras.
Será que este cara que fez isso não tem uma irmã, uma mãe?
Tem que ser muito maldoso para fazer o que fez.

Pra gente deste tipo tem que usar a Pena de Morte. Acho que o cara pensaria duas vezes antes de fazer uma besteira.
Há alguns anos em SP um menor de idade seqüestrou um casal que estava acampando, matou o rapaz, ficou com a menina por dias, ela apanhava e era estuprada por vários caras, amigos deste FDP.
Foi assassinada quando cansaram.

Eram um casal lindo. A dor do pai dela se transformou em luta para baixar a maioridade civil.

Não adianta. Temos que matar estes desgraçados. Chega.


E que Deus consiga confortar as famílias das vítimas.