quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Programa Voz do Litoral

Paranaguá é uma cidade pitoresca. Enquanto outros municípios tem que se contentar com jornais impressos e emissoras de rádio, nós, além de tudo isso, temos também a "sorte" de termos uma televisão local.

Sorte? Será mesmo?

Não sou a pessoa mais inteligente do munco, com certeza, mas também não sou a mais burra.
Todos os dias a gente "tenta" assistir a este jornal que passa na hora do almoço.
Confesso que o apresentador enquanto radialista de um jornal da manhã, até que vai bem, não chega aos pés dos irmãos Mikosz, nem do que era o Antonio Pioli, mas dá pra enquadrá-lo no quesito "suportável".
Deixa um pouco a desejar porque as entrevistas sempre deixam de informar algo ou são um pouco enroladas.

Já na televisão o cara se transforma.
Quando não destila seu vocabulário pobre pra atacar os infratores, está fazendo brincadeirinhas sem graça... pelo menos pra os telespectadores.
Piadinhas que vão desde falar da faxineira ao pé descalço de um câmera.
A jornalista que faz as matérias então é uma pessoa tão sem imaginação que recentemente conseguiu fazer a seguinte pergunta para mulheres que estavam se arrumando pra um casamento comunitário: "você está feliz"?
Repetiu esta pergunta pra todas as 4 ou 5 que entrevistou.
Acredito que seja por "gênios" como ela que a exigência de diploma universitário tenha caído.
Simplesmente não dá pra elogiar absolutamente nada deste jornal, apenas lamentar a reunião de tantas pessoas incompetentes no mesmo espaço.

O mais triste é pensar que estamos desperdiçando espaço e tempo.
Poderiam estar diariamente dando notícias de verdade, mas não. Todos os dias é um tal de mostrar a prisão de "pés de chinelo", "nóias"... todo santo dia é isso. Só isso.
Raramente conseguem dar uma informação interessante.
Querem imitar o estilo do apresentador Ratinho (dono da emissora), mas por mais que não seja do meu agrado, admito que ele tem suas qualidades. Se perde muitas vezes, mas dentro do estilo sensacionalista consegue passar sua mensagem.

Muitas vezes, passam mais de 15 minutos "pagando sapo" um com o outro. E umas brincadeirinhas tão toscas.
Aí quando pensamos que vem uma matéria, lá vem um merchandiser... "Cogumelo Caiçara", "Mazur", "Maxi Mundial"... e dá-lhe piadinhas sem graça do Tony Lagos.

Isso quando não mostram feridas de presos, cuecas "borradas"... é um festival de porcarias.
Nada é elogiável. Nada.
Eu vejo porque meu marido é como todos os homens, dono do controle remoto, não consegue assistir um comercial sem dar uma "banda" em todos os canais.

Uma pena que até nisso Paranaguá seja prejudicada.
Tantas notícias, tantas formas de se usar racionalmente a televisão pra ajudar a população, mas não. Para eles o programa é só deles, enquanto se sentem "engraçados" e "espertos" tá bom.
Meu pai achava o cúmulo da burrice este programa.
A maioria dos meus amigos também concordam com isso.

Tanta coisa poderia ser feita pra ajudar a comunidade. Porém, acredito que atrapalhem mais que ajudam.
Ficam fazendo aquele assistencialismo barato, forçado... deprimente.

Deprimente... é esta a palavra que resume o que faz o Tony, a Diana, o tal do Paulo, etc...

Sem contar que o programa tem o nome errado.

Deveria ser o "Lixo de Paranaguá", porque de voz não tem nada, e litoral não sei se eles sabem mas vai além desta cidade...

6 comentários:

Helena disse...

Estava eu procurando algo sobre Paranaguá e encontro isso. Devo dizer que estou totalmente de acordo com o que voce escreveu e ainda digo mais, é vergonhoso o que fazem com as pessoas no ar. Tony Lagos deveria ter vergonha de se dizer jornalista.

Anônimo disse...

Garota, incrível encontrar alguém como vc, com tanta coragem para escrever sobre esse programa de quinta categoria. Não acho que o apresentador tenha culpa, pois na verdade a culpa seja de quem está falando no microfone (chefe) um monte de babosera e ainda se diz reporter. Eles começaram bem e hoje só enche linguiça, principalmente desgraçando vidas. Infelizmente, temos que conviver com pessoas desse tipo, além do que possuem uma hora em horário nobre da televisão. Fala sério, vcs tem que mudar e muito. Estão passando de reporteres para palhaços e logo depois, seram no mínimo bandidos, montando reportagens falsas para ter o que apresentar na televisão. boa sorte enche linguiças.

Amanda Jornalista disse...

Rosane, não concordo com o seu ponto de vista, Tony Lagos é um jornalista e radialista competente que além de tudo transmite sua naturalidade e alegria!

Ratinho também é um apresentador acima de tudo natural, não fica seguindo roteiros e formalidades, mesmo assim é um grande apresentador! dinamico e autêntico!

Então feche essa sua boca nojenta que só sabe criticar os outros!

Vá apresentar o programa lá, quero ver se saberia fazer melhor!

O desafio está lançado!!!

silvia disse...

o tal do tony é um bêbado de merda, mas a real é que ele está sendo pago pra fazer essa porcaria!
o duro é o povo que não se conscientiza que poderia ter um programa bem melhor e acaba aceitando tudo o que vem pela frente. Esse jornaleco parece que foi feito no quintal da casa deles enquanto tava rolando um churrasco de domingo, mas acho que é bem a cara deles.

silvia disse...

á e a tal da amanda jornalista deve ser do mesmo naipe que o dele de profissionalismo, ja que não respeita a liberdade de expressão e vai mandando um "cale a sua boca nojenta". ela que vá se mestrar lá na pires pardinho.
não estamos críticando todos, apenas comunicadores de merda igual vcs!

Marcelo disse...

Olha a veracidade dos fatos aí expostos pela Roseane, revela de maneira habil um pensamento, que representa quase que toda a população de Paranaguá. Até porque temos que conviver com um apresentador fanfarrão, que tem como diretor uma pessoa que não sabe se quer se expressar, e toda uma gama de profissionais, entre aspas que mal sabem o que fazer com o equipamento. Parabéns Roseane você conseguiu se expressar de maneira clara, pois milhares de parananguaras gostariam de poder dizer tudo isso na cara desse cidadão que veio de fora, brincar com a cara do parnanguara, promovendo uma emprensa marrom. Ah, e quanto a essa Amanda que se diz jornalista, quero lembrar, que depois de RP, todo mundo é jornalista.