quinta-feira, 30 de abril de 2015

Dia do trabalhador ou dos escravos?

Comemorar o quê no dia 1º de maio?
O salário mínimo é medíocre e não cobre todas as nossas necessidades.
O governo petista incentiva cada vez mais a massa para que acostumem-se ao assistencialismo, meramente político, mas não incentiva ninguém a pensar, discernir, raciocinar.
Há momentos que queria morar numa ilha isolada, sem acesso à nenhuma informação, porque quanto mais me dou conta do caminho em que o país está entrando, com mais medo do futuro fico.
Desesperança e incredulidade...
Trabalho como funcionária pública municipal, na área da saúde, o que vejo é um abandono total.
Falta incentivo, material, condições adequadas de trabalho, depois de alguns percalços até minha boa vontade está indo para o brejo.
Não existe isto de se dedicar e acreditar que em algum momento seremos reconhecidos.
Vejo pessoas dando o seu melhor, assumindo postos que deveriam ser divididos entre vários funcionários simplesmente serem removidas sem nenhuma justificativa lógica, por pessoas incompetentes e sem nenhum comprometimento com a população, a quem devemos servir em primeiro lugar.
Cansei de passar o dia me matando, chegar antes do horário sem receber um centavo de hora extra e perceber que quem está ascendendo dentro da máquina deste governo são aqueles que fazem tudo errado, quando fazem e que só sabem mesmo lamber os sacos das chefias.
Não... me recuso a este papel medíocre, mas aprendi que não devo fazer nada além das minhas possibilidades, também não me apego mais aos locais por onde passei.
Há alguns meses fui recolocada num local aonde em 10 dias organizei a trapalhada e incompetência de 6 meses em que fiquei afastada. Sabe o que ganhei?
Um aviso na frente de outras pessoas de que deveria me apresentar em outro departamento.
Valeu à pena porque foi bom ver o reconhecimento da população, muitos jogavam as mãos pro céu agradecendo o meu retorno e sonharam que tudo iria voltar ao normal... o sonho duro pouco e a anarquia foi novamente instalada.
Triste é perceber que a gente nada, nada e morre na praia...
Se eu pensasse no valor do meu salário eu não seria feliz nunca, mas naquele lugar eu consegui ser útil para muita gente, eu sei... muitos sabem.
Porém o mundo não é justo, nem para mim e muito menos para tantos outros trabalhadores que levam suas funções a sério.
Humilhante é saber que há pessoas neste momento que já emendaram o feriado e estão ganhando hora extra, sem fazer nada.

Morar num estado aonde os professores são atacados como se fossem absolutamente nada e sem nenhum propósito.
Os professores do Paraná demonstraram muita dignidade ao defenderem o fundo de previdência, cujo governador está metendo a mão... sem nenhuma vergonha na cara, sem remorso, sem dó.

Comemorar o dia do trabalhador?
Chorar é melhor.

Nenhum comentário: