sábado, 30 de novembro de 2013

Nem sempre...


Nem sempre ao olharmos para cima o céu estará exatamente do jeito que gostaríamos, muitas vezes esperamos um dia de sol e o que teremos será um dia cinzento.
Fico bem chateada quando os dias chuvosos se emendam, sucessivamente.
Hoje, particularmente, foi um dia muito complicado, me senti bem estressada, mas consegui fazer algo que penso ser fácil e de repente percebo que não é: admitir que sou impotente.
Pensei que seria fácil assumir algumas responsabilidades, mas percebi que querer não é poder. Meu problema é querer abraçar o mundo, pensar que sou de ferro, que posso tudo e perder o controle.
Tem duas coisas hoje para as quais me entrego de coração, por amor e de boa vontade: meu Grupo e os animais, leia-se ONG Amigos Protetores.
Nestes últimos dias me dediquei mais aos animais. Das seis cadelas que tenho aqui - duas filhotes - três estou dando LT (lar temporário).
Decidi no impulso, mas enfim, agi com meu coração e talvez elas estivessem lá aonde estavam.
O problema foram complicações, cirurgia, doenças... imprevistos que se fossem previstos não teriam este nome.
Juntando-se a tudo isto, minha dificuldade em conseguir uma pessoa que venha cuidar do meu quintal, como consigo levar canos de jardineiros, é impressionante. 
Já me sugeriram morar numa casa menor, com terreno menor... mas confesso, amo meu lar, de verdade. Por que as pessoas tem a tendência de achar que só porque vivemos sozinha temos que diminuir nosso espaço?
Já morei num espaço de 30 m² e era simplesmente terrível, depressivo. Ligava chorando para meus pais e eles corriam pra ficar comigo.
Esta mania de estar no controle da minha vida, esta dificuldade de entregar minhas vontades, de lidar com as situações, de manter a serenidade.
Quando estou no olho do furacão parece que vou pirar, mas me vejo resolvendo tudo, penso que apesar das dificuldades não chutei, não berrei, não gritei... não fiz merda, não me entorpeci, não fugi da realidade, então, apesar deste dia não ter sido exatamente como eu queria que fosse, está tudo bem. 

O importante é que amanhã posso acordar em paz, me deparar comigo sem me sentir desconfortável e fazer apenas aquilo que decidir que será melhor para mim.
Hoje não estou muito a fim de longos texto, nem sempre serão otimistas, nem sempre os dias são azuis, mas que bom que estou aqui e tenho saúde...

Nenhum comentário: